quarta-feira, 15 de junho de 2011

Baratas Tontas


É oficial, a União Europeia não se entende.

Empurrar com a barriga passou a ser o desporto oficial de uma Europa que de unida já só tem o nome.
A famosa crise da dívida expôs as fragilidades do Modelo Social Europeu.

Em todos os Países europeus a sustentabilidade deste modelo a 30 anos está posto em causa, mas nos países periféricos o problema é agravado pois com uma economia estagnada ou em recessão, com uma taxa de desemprego alta e com empresas a fechar diariamente é matematicamente impossível cumprir todos os compromissos estejam ou não inscritos na constituição.
O que a Europa não entende é que por mais imperfeito que o  Modelo Social Europeu seja, foi a maior conquista da Humanidade desde a Revolução Neolítica.

Basta olhar para os EUA e para as recentes conquistas na área da saúde (Medicare & Medicaid Services) e para os custos estimados para se entender a dificuldade da implementação de um sistema de Saúde nacional.
Os Europeus tem muito mais do que isso, tem um bom Sistema Nacional de Saúde, de acesso universal, tem apoio ao desemprego, tem apoios sociais e tem reformas.

Nada mais digno para um ser humano que passou a vida a trabalhar, possa nos últimos 10 ou 15 anos de vida descansar e viver condignamente.
O problema é que esses 10 ou 15 anos, com reformas antecipadas, expedientes vários e aumento da esperança de vida passaram em muitos casos a 25 30 anos.

Dependendo dos países o problema pode ser maior ou menor, mas neste capitulo a Alemanha não está melhor que Portugal.
E por muito forte que seja a economia Alemã o Modelo Social Alemão está longe de ser sustentável.

Se juntarmos a tudo isto uma economia mundial desregulada e os aliciantes financeiros de apostar contra uma moeda que nasceu coxa e em que os liders dos países que a compõem falam cada um para seu lado, temos todos os ingredientes necessários para potenciais ganhos no que actualmente podemos chamar o maior desporto mundial.
Tiro aos Patos.

Grécia Irlanda e Portugal já caíram, a Europa e o Euro não aguentam com uma Bélgica; Espanha e Itália a seguirem o mesmo caminho, e embora se tente disfarçar a França não está muito melhor.
Quando a Grécia finalmente afirmar que não consegue pagar tudo aquilo que pediu emprestado, vão existir umas centenas de instituições e particulares que estarão com um sorriso nos lábios pois ganharam biliões em CDS (credit default swaps)

Claro que em seguida apostam tudo no Incumprimento de Irlanda, Portugal, Espanha e por aí fora, isto só para na desintegração ou no assumir pela união toda a dívida em Obrigações Europeias.
Dando um exemplo nacional era como se a primeira lei do próximo governo fosse a seguinte:

Todos os Portugueses que tem crédito à habitação passam a pagar 4% de Spreed esta medida é fundamental pois existiram muitos particulares que abusaram do crédito concedido e esbanjaram dinheiro sem apostar na produtividade e agora não conseguem pagar.
Mas que tenho eu a ver com isso? O meu Spreed negociado com o banco é 0.45%!

Eu não aceito!
Isto é o que Alemães e países do Norte da Europa Afirmam.

No Limite para impedir o colapso do sistema financeiro talvez…talvez eles aceitem.
Se o fizerem no mínimo deixamos de ter ministro das finanças.

Se não o fizerem o Euro acaba em 2011.
Em 2012 este problema já não deve existir pois as baratas tontas tem 2 caminhos ou morrem ou deixam de ser tontas…

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)