terça-feira, 30 de agosto de 2011

Novamente a TSU

O Assunto não é novo mas com o mês de Agosto no fim e a medidas acordadas com a troika por implementar os prazos vão ficando curtos e a TSU tem mesmo de ir para a frente, custe o que custar.

O que foi assinado é baixar significativamente estes custos e Significativamente significa 4% (No mínimo).
Como também foi acordado, essa receita que deixa de entrar nos cofres  tem de ser compensada com receitas adicionais (IVA).

O Ano tem 365 Dias, se em 2011 retirar Sábados; Domingos; Feriados e respectivas pontes ficam 247 dias úteis de produção.
1.       Terça-feira, – CARNAVAL- Feriado a anular
2.        3 de Junho 2010 - Corpo de Deus - Feriado a anular
3.       Domingo, 15 de Agosto 2010 – Assunção de Maria - Feriado a anular
4.       5 de Outubro 2010 – Implantação da Republica - Feriado a anular (já temos o Dia de Portugal, julgo ser mais importante)
5.       1º de Novembro 2010- Dia de Todos os Santos -  Feriado a anular (Os santos não nos retiram da crise)
6.       1º de Dezembro 2010 - Restauração da Independência -Feriado a anular (já temos o Dia de Portugal, julgo ser mais importante)
7.       8 de Dezembro 2010 – Imaculada Conceição - Feriado a anular (era bom mas acabou…)

Tem que ser assim, não dá para baixar a comparticipação das empresas dos 23.75% pois caso contrário temos de arranjar receitas pelo IVA e ir aumentar o preço dos bens essenciais depois de aumentar o IVA sobre ÁGUA; LUZ e GAS?

Nestes 7 feriados tem de estar a baixa de 4% de TSU
O pessoal é sereno mas a paciência tem limites e até para ser 1º ministro é necessário bom senso! Ou não?

Cortem nos feriados pontes e afins e expliquem que se não for assim o IVA vai aumentar! E não é pouco…
Em Setembro temos de aguentar a pressão sobre a divida da Madeira, os professores e o seu método de avaliação e as freguesias e câmaras municipais pois vão ter de ser reduzidas acabando igualmente as Empresas municipais e afins…

Eu pessoalmente acho que é muita pressão e a coisa não vai correr bem!
Até que ponto? Bem, isso não sei,  quando tenho dúvidas sobre o nosso futuro gosto de olhar para o presente na Grécia…

E esse presente, eu não quero!

LINK (Feriados pontes e afins) e TSU

4 comentários:

  1. Mais uma vez completamente de acordo.

    Ass Nuno Monteiro

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente acho que ter-se-ia de reduzir feriados, aumentar iva e ainda nao seria possivel acabar com o enorme déficit.

    basta ver o que anda a aparecer na Madeira... fora o resto das camaras e empresas publicas

    tb ja discuti com o meu pai: cheira-me que vamos pagar a Madeira e depois depois vao pedir a independencia. mais valia dar-lhes a independencia agora. tb nao sei porque odeiam tanto o continente, eu nao lhes tenho ódio, mas afinal aquilo é portugal ou nao? tb nos açores bem me lembro que subiram lá os salarios qnd no continente está como se vê.
    nas colonias tb investimos dinheiro portugues e ficamos sem nada. acho que a historia serve para ensinar alguma coisa.

    tb toda a oposiçao se queixa que o governo nao corta despesa, mas vamos la fazer as contas: se nao pode cortar na saude, educação, apoios sociais, na função publica, obras publicas, afinal onde pode cortar??

    cumps

    ResponderEliminar
  3. vê-se que não percebe qual o intuito de uma desvalorização fiscal. A ideia é aumentar exportações e reduzir importações. Com essa magnífica ideia de aumentar dias de trabalho, apenas teria efeito no aumentar exportações. Já agora, diminuir o nº de feriados só iria diminuir ainda mais a péssima produtividade portuguesa. Só um leigo não vê isso.

    ResponderEliminar
  4. Desculpa lá mas não concordo!
    Aumentar as horas de trabalho (aumenta as exportações e diminui as importações).
    Se alguém passa mais 22 horas por mes a trabalhar, são menos 22 horas que tem para andar nas compras e se não compra reduz as importações...hehehe.
    aumenta a produção nacional, mas reconheço que o rácio produção/horas trabalhadas não deve beneficiar com esta medida...

    ResponderEliminar

;)