domingo, 18 de dezembro de 2011

Défice de Portugal desde 1986_Pedido de esclarecimento...

8 comentários:

  1. Saldo das contas públicas em contabilidade nacional (Fonte: Eurostat, Banco de Portugal e INE)
    1977 -2,9%
    1978 -7,2%
    1979 -5,1%
    1980 -7,2%
    1981 -8,7%
    1982 -7,2%
    1983 -5,1%
    1984 -5,5%
    1985 -8,6%
    1986 -7,5%
    1987 -5,9%
    1988 -3,6%
    1989 -2,9%
    1990 -6,3%
    1991 -7,6%
    1992 -4,7%
    1993 -8,1%
    1994 -7,7%
    1995 -5,5%
    1996 -4,8%
    1997 -4,0%
    1998 -3,2%
    1999 -2,8%
    2000 -4,4%
    2001 -2,7%
    2002 -2,9%
    2003 -2,9%
    2004 -3,4%
    2005 -6,1%
    2006 -3,9%
    2007 -3,0%

    http://economia.publico.pt/Noticia/defice-ao-valor-mais-baixo-dos-ultimos-30-anos-1323730

    ResponderEliminar
  2. Boas Arqmarq,
    Obrigado pelo Link.
    Esse eu também tinha encontrado mas os dados não estão iguais ao que encontrei em Pordata e INE por isso não tendo outra confirmação pedi esclarecimentos ao Pordata.
    Temos mais um problema é que todos os dados contam com medidas extraordinárias, o ideal era encontrar o valor do défice desde 1986 sem medidas extraordinárias...
    Eu por mim vou continuar a procurar...

    ResponderEliminar
  3. Os défices enormes até aos anos 90 eram com o quê? na altura não havia submarinos, pois não?

    o que é que os economistas diziam nesse tempo?

    ResponderEliminar
  4. http://www.fep.up.pt/investigacao/workingpapers/04.05.06_WP146_Afonso%20e%20Aguiar.pdf

    Talvez este estudo dê algumas pistas sobre fontes para encontrar os dados que procuras.
    Achei particularmente curioso o gráfico da página 32, onde surge o grau de cobertura das importações pelas exportações, onde se verifica que, em todo o século vinte, apenas no período da 2ª Guerra Mundial as nossas exportações de bens e serviços ultrapassaram as importações.
    De notar que esse grau de cobertura no último mês de Setembro foi de 97,9%!!!!

    ResponderEliminar
  5. Boas Arqmarq.
    Obrigado pelo Link tem realmente muitos dados úteis, já guardei para posterior recolha de dados.

    ResponderEliminar
  6. Boas R+,

    O último ano em que demos lucro foi em 1973, em democracia gastamos sempre mais do que produzimos.
    Nos anos 90 tínhamos como primeiro-ministro o visionário que agora é presidente.
    Foi a altura das primeiras PPP's do CCB e da ponte Vasco da Gama onde ficou garantido ao consorcio vencedor as portagens da ponte 25 de Abril, tendo o nosso visionário garantido que não pagaríamos 1 € pela ponte Vasco da Gama...
    Foi também a altura em que se acabou com actividades que não traziam mais valias para Portugal como é o caso na Agricultura, Pescas ou Industria.
    Nos anos 90 o discurso político era de ambição, queríamos chegar ao Plutão da frente da Europa.
    O segredo era acabar com Agricultura, Pescas e Industria e apostar em força nos serviços...
    Foi Igualmente nessa altura que apareceu a famosa frase "Nunca me engano e raramente tenho duvidas"...
    Cavaco eu estou contigo és realmente O MAIOR!!!
    DUVIDAS?!?

    ResponderEliminar
  7. Mas o Cavaco não é economista?
    Não se deve ter uma economia com base só em serviços, pq não geram bens facilmente exportáveis: basicamente com professores a mais, e enfermeiros a mais e de caminho medicos a mais, só se Portugal passar a ser o Hospital e Universidade da Europa...

    Não percebo é o método de como acabaram com sector primário e secundario. Neste momento está a falir sobretudo devido à concorrencia desleal doutros países com praticas desumanas com os quais ninguem tem coragem de bloquear.
    Mas creio que na altura o que ofereciam é por exemplo, uma indemnização para abater com uma traineira, não é?
    ora, só abatia quem queria. e quem abatia sabia (?) que estava a vender o seu sustento!

    se eu vender a casa onde vivo e não comprar outra, durmo ao relento não é?

    cumps

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tarde e a más horas, mas cá vai a resposta :)
      Concordo contigo a culpa é nossa, mas a politica seguida não ajudou nada...
      Como exemplo os subsídios eram dados pela UE mas a maneira como os aplicávamos era nossa responsabilidade se o abate de barcos de pesca contava tipo 10.000€ por metro e a renovação ou substituição dos barcos com os mesmos 10.000€ por metro poderia ser feito uma discriminação positiva para a transformação pesqueira, tipo abate 3.000€ por metro e renovação 17.000€ por metro!
      Certamente o resultado teria sido diferente...

      Eliminar

;)