sábado, 18 de fevereiro de 2012

O piegas pergunta, é o nosso dinheiro que está ali a arder?

Esta constatação foi feita por Bem Knappen ministro holandês para os assuntos europeus.
O mesmo pensam os Portugueses quando são confrontados com a brutalidade dos impostos vigentes em Portugal. A grande diferença é que os nossos impostos não chegam para sustentar os nossos vícios e os impostos holandeses servem para sustentar os vícios deles e de outros países mal governados.
Reconheço que a Holanda também tem um problema na divida dos particulares, mas a dividapublica ronda os 65%.

Em Portugal cada vez que se tenta mexer em alguma coisa ou são direitos adquiridos, ou é isto, ou aquilo, muito se fala pouco se avança alterando praticamente tudo para que tudo fique na mesma…

Na Saúde não se mexe, não podemos privar os cidadãos do seu bem-estar.

Na Educação não se mexe, estaríamos a hipotecar o futuro.

Nas reformas não se mexe pois são direitos adquiridos ao longo de uma vida de trabalho e os restantes subsídios (RSI, Desemprego, Abono família, Natalidade, etc) já levaram cortes consideráveis.
Se juntarmos a estes 3 itens os juros a pagar sobre a divida Portuguesa já gastamos todo o dinheiro que arrecadamos com os impostos que cobramos!

É isso mesmo! Para quem possa ter duvidas o dinheiro arrecadado com os impostos que cobramos só dá para pagar a Saúde, educação, reformas, subsídios e juros da divida!
Não falei de PPP’s, Transportes, Justiça, Forças armadas e policias…

Não falei de investimento para o futuro! Aquele investimento produtivo, que gera receitas, esse tem que ser feito! Não é auto-estradas e outras obras de fachada.
Não é manter empresas e institutos públicos que são um sorvedouro de recursos.
Cada vez que oiço falar em PPP's, electricidade e seus custos associados, empresas e institutos públicos, combustíveis fico sempre com a sensação que é o meu dinheiro que está ali a arder.

Só mais uma achega, já que hoje estou piegas…
Se o meu filho Tiago que tem 8 anos ocupar todos os cargos que ocupou esse visionário que responde pelo nome de Aníbal Cavaco Silva a sua reforma em 2069 será insignificante face aos 12.000€/mês do nosso amigo Aníbal!

Se o artigo 13º da constituição portuguesa consagra que todos os portugueses são iguais é justo que o meu filho pague os juros de reformas que pagamos actualmente para as quais manifestamente não temos dinheiro?
É que se não temos dinheiro temos de pedir emprestado e temos no futuro de pagar os respectivos juros, esses serão pagos pelos nossos filhos, então e eles pagam os juros de todas as nossas loucuras e não podem usufruir de metade dos benefícios?

Onde está esse principio da igualdade?
Faz-me lembrar a anedota…

A partir de hoje somos todos iguais!
Não existem brancos nem pretos!

A partir de hoje somos todos azuis, está decidido!
Os azuis-claros vão na parte da frente do autocarro e os azuis-escuros na parte de traz…

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)