sábado, 5 de maio de 2012

Portugal - O Senhor dos Anéis – Ciclo do polvo – (Cap. 17)

Depois de criar a primeira maternidade de polvos, falta apenas completar o ciclo até à fase final da engorda e posterior comercialização.

É aqui que as coisas começam a ficar interessantes.

Temos de ter apoio técnico e cientifico de universidades portuguesas ligadas ao mar, onde será que podemos encontrar na Tugolândia uma universidade assim?

Assim tipo uma universidade com um Departamento de Oceanografia e Pescas?

- Que coincidência é nos açores…adiante!
Vamos então olhar para o plano de trabalhos, para mais facilmente explicar os timings para a nossa futura fábrica de polvos.

No mês (N) no 1º dia são introduzidas as fémeas na maternidade, confortavelmente instaladas nas 1000 caixas de 1.50m x 1.50m instaladas para o efeito, com abrigo próprio e tudo…

Depois damos 1 dia para elas se habituarem e para aumentarmos gradualmente a temperatura nas 48 horas que antecedem a introdução dos machos.

Ao 3º Dia introduzimos os primeiros 5.000 machos para que as “polvas” tenham a possibilidade de escolha, mas segundo o que lí como elas só “brincam” 1 vez na vida, cada “polva” facilmente despacha 10 machos…
A natureza…a natureza…

O acasalamento pode demorar até uma semana existindo registos em muitas espécies de danças nupciais no fundo do mar. O polvo macho tem um tentáculo modificado chamado hectocotylus que tem cerca de um metro de comprimento e que contém fileiras de esperma. Dependendo da espécie, ele aborda uma fêmea recetiva e insere o tentáculo dentro do oviduto dela.
Não nos vamos poupar a cuidados e diariamente serão introduzidos caranguejos e mexilhões em dose reforçada, pois são um petisco muito apreciado e animais contentes mais facilmente se dedicam ao que nos interessa, sexo! Sexo! Sexo!

Ao 10º Dia são retirados os 5.000 machos heróis que já tiveram tempo suficiente para satisfazer a sua necessidade animalesca, se não o fizeram é porque são familiares do Castelo Branco e também não estão lá a fazer nada…
São introduzidos mais 5.000 polvos sendo estes igualmente informados que tem 7 a 10 dias para apresentar serviço feito!

Resumindo, de acordo com o plano de trabalhos, a 2ª;3ª e 4ª semana do mês N são dedicadas ao sexo sem limites, é trabalhar…trabalhar…trabalhar!
Tudo isto é monitorizado com camaras instaladas para o efeito em cada uma das maternidades.

O nível de oxigenação da água é também monitorizado e controlado (recolha de amostras de hora em hora), sendo injetado oxigénio sempre que necessário.
O mês N+1 é dedicado às larvas recém-nascidas que vivem à superfície sendo providenciada renovação das águas de acordo com as marés como falámos anteriormente, embora as águas açorianas sejam ricas em plâncton será injetado diariamente na maternidade  larvas de caranguejo, que são um bom petisco e o pessoal não quer que falte nada aos nossos amigos recém-nascidos…

O mês N+2 é dedicado à recolha de larvas à superfície, sendo a sua extração igual ao método das larvas de caranguejo, que está aqui exemplificado.
Todas as larvas são acondicionadas em sacos de plástico com água e oxigénio puro para transporte.

No mês N+3 serão recolhidas as restantes larvas, quando descem para o fundo ficam em recipientes com 1.50m x 1.50m previamente instalados.
Durante os meses N+2 e N+3 será monitorizado a taxa de mortalidade das larvas ao ser transportadas para o laboratório/fábrica e seu desenvolvimento nos 30 dias posteriores, será igualmente utilizado o transporte via terrestre e marítima para no final se concluir qual a melhor altura para a recolha das larvas e qual a melhor maneira de as transportar.

A última semana do mês N+3 será utilizada para a limpeza da maternidade, iniciando a maternidade no mês N+4 um novo siclo de procriação (azul no P. Trabalhos)
Será igualmente assumida uma taxa de mortalidade de 10% na transição entre a maternidade e o Laboratório/fábrica, passando a existir 18 milhões de polvos até 20g sendo os 2 milhões de polvos mortos aproveitados para a alimentação dos sobreviventes.

Os meses N+4; N+5 e N+6 são passados em laboratório/Fabrica atingindo os polvos no mês N+6 um peso superior a 300g, sendo este mês igualmente aproveitado para a sua separação por tamanhos e sexo.
No mês N+7 os polvos chegam ao peso de 500g e passam da fábrica/Laboratório para a engorda final no mar.

As estruturas criadas para a engorda final tem as dimensões de 1.50m x 1.50m x 3.00m e terão capacidade para 9 polvos cada (0.50m x 0.50m).
A área ocupada pela engorda final dos polvos é 2x (7.000 m x 600m) , desde o ilhéu preto junto à maternidade até à zona do aeroporto, por cada 2 recipientes de 1.50m x 1.50m existe 1 flutuador com 1.50m x 1.00m de acordo com imagem.

Nos meses N+7; N+8; N+9 e N+10 os polvos passam de um peso de 500 gramas até ao peso mínimo de 2.5kg, sendo o mês N+10 marcado pelo inicio da expedição de polvos ao ritmo de 4.16 milhões por mês.

Nos meses N+10; N+11; 2N e 2N+1 serão expedidos 4.16 milhões de polvos por mês ao peso de 2.50kg; 3.00kg; 3.75kg e 4.50kg respetivamente.

Foi igualmente considerada uma mortalidade de 1% no primeiro ano (N) que corresponde a 180.000 Polvos, os restantes polvos vão para a secção de engorda especial onde nos meses 2N+9; 2N+10 e 2N+11 serão comercializados ao ritmo de 350.000 mês e com um peso de 10.50kg; 11.25kg e 12.0kg respetivamente.
A produção entra em ritmo de cruzeiro nos meses 2N+8; 2N+9; 2N+10 e 2N+11 sendo a faturação prevista de 533 milhões por cada 4 meses (para preços de venda de 6.00€/kg para polvos até 5kg e 8.00€/kg para polvos com +de 10kg)

No 3º Ano (3N) o ciclo do polvo estará terminado, sendo utilizados pela 1ª vez polvos criados em cativeiro com peso de 12kg para a reprodução, dado que o polvo macho fica senil depois de acasalar acabando por morrer, dado que a fémea, a nossa amiga “polva” depois de desovar acaba igualmente por morrer, serão utilizados estes 11mil polvos para venda final depois da reprodução, com a categoria de polvos reprodutores em que na embalagem estaria um caminho para as filmagens que foram feitas na maternidade dos polvos, podendo  quem compra ter a garantia de imagens datadas com a reprodução dos polvos na nossa maternidade.
Falta falar das necessidades de alimento e do custo disto tudo, mas isso fica para outro capítulo…

Um abraço e até breve!

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)