sexta-feira, 1 de março de 2013

Tese de Doutoramento do Jony – Como nos Devemos Governar (onde cortar 4 mil milhões de €uros) - Cap. II.

Temos 308 municípios em Portugal, mudar a maneira como nos governamos é decisivo para o futuro de Portugal.

Depois de pagar ordenados a 9.142 Presidentes,
Depois de pagar ordenados a 2.626 Vereadores/Vogais,

Depois de pagar ordenados a 13.183 Secretários,
Depois de pagar ordenados a 4.318 Tesoureiros,

Depois de pagar ordenados a 31.497 Deputados (Nacionais / Regionais / Municipais e de J. Freguesia) quanto dinheiro resta para as populações e suas necessidades?
Pouco, muito pouco.

Com a reorganização efetuada na TAG a “Ditadura dos Partidos” tornou-se evidente que um município tem de servir, no mínimo 30.000 Pessoas, menos que isso não se justifica.
De que serve ter “representantes do Povo” em todas as freguesias do país com presidentes; secretários; tesoureiros e vogais se depois de pagar ordenados a TODOS estes abutres, não existe dinheiro nenhum para atender às necessidades das populações?

Claro que para todas as regras existem exceções e existem casos (municípios) que não cumprem os critérios, foram considerados municípios do tipo C3 Municípios com menos de 30.000 Habitantes, são 13Hasfgjkl.
Depois temos os Municípios de tipo C2, municípios com mais de 30.000 Habitantes e menos de 100.000 Habitantes, são 104.

Finalmente, os de tipo C1, municípios com mais de 100.000 Habitantes, são 24, podendo ou não criar uma categoria especial (C1+) para municípios com mais de 250.000 ou 300.000 Habitantes.
Reduzimos os municípios de 308 para 141.

É nestas localidades que deveremos concentrar os recursos para servir as populações.
Serão Eleitos 141 Presidentes de Camara municipal e respetivos representantes do povo.

Os novos 141 Presidentes de C. Municipal são igualmente presidentes de todas as Juntas de Freguesia do seu Município.
E não vamos extinguir freguesia NENHUMA! Até porque extinguir freguesias ou junta-las com um nome diferente irrita as populações e não reduz a despesa pública.

O que vamos extinguir MACIÇAMENTE são Juntas de Freguesia!
Juntas de Freguesia e respetivos Presidentes; Secretários; Tesoureiros; Vogais e Deputados!

Uma Junta de freguesia tem de servir um mínimo de 3.000 a 5.000 Pessoas!
O Presidente dessas juntas de freguesias, são os Vice-Presidentes/Vereadores da respetiva camara municipal (a decidir pelo presidente).

Sejamos claros quanto à quantidade de Juntas de Freguesia a distribuir pelas 141 Camaras Municipais…
Um município tipo C2 vai ter como representantes do povo no máximo 8 pessoas (1 Presidente + 7 Vereadores).

A lista mais votada nas eleições, tem assegurado o lugar de presidente + 3 vereadores, restando no máximo 4 para a oposição, em caso de empate o presidente tem voto de qualidade e assegura a “boa governação”.
Para um mínimo de 3 Vice-presidentes/Vereadores, vão existir entre 3 a 6 Juntas de Freguesia.

Seguindo a vontade do presidente, os vice-presidentes podem assumir a presidência das Juntas de freguesia.
O resto?

O resto são funcionários, ou da Camara Municipal ou da Junta de Freguesia, serão os necessários para que todo o território Português seja “UNO” nestes momentos difíceis.
Em todas as reuniões de Assembleia Municipal ou de Assembleia de Junta de Freguesia os cargos de Presidente da Assembleia e respetivos secretários serão ocupados pelos vereadores eleitos.

Os mesmos 8 elementos, são os suficientes para representarem o povo nas camaras municipais; juntas de Freguesia e respetivas assembleias!
Vamos então, pedindo a colaboração de todos os interessados, iniciar a nossa viagem pelo distrito dos Açores! Primeiro dos 20 distritos portugueses a ser analisado a pente fino…

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)