quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ferrovia - Portugal 2030 (Sul de Portugal)

Com as condicionantes existentes no Algarve é impossível vir a construir um grande porto, sendo evidente que a melhor aposta é, e será sempre, a ferrovia.

Com um custo inicial superior á construção de uma auto-estrada (± o dobro) a ferrovia tem maior capacidade de transporte e como funciona a eletricidade torna o transporte menos poluente, por conseguinte mais ecológico.

Com o novo quadro comunitário de apoio é URGENTE apostar na ferrovia, em Portugal.

A sugestão de PortugalBipolar é a seguinte:
 
Linha do Algarve

1.       Estando a linha entre Vila Real de Santo António e Tunes preparada para transportar passageiros e mercadorias, será alterada para bitola mista permitindo o transporte de passageiros e mercadorias em bitola ibérica (1688mm) e bitola internacional (1435mm). Custo estimado 194 milhões de Euros (2M€/km)

2.       Eletrificação e substituição de travessas de madeira por travessas bi-bloco, para bitola mista entre Tunes e Lagos, permitindo o transporte de passageiros e mercadorias sem transbordo em tunes. Custo estimado 168 milhões de Euros (3.5M€/km).

3.       Nova linha férrea entre Lagos e Vila do Bispo, permitindo o transporte de mercadorias e passageiros entre Vila do Bispo e Vila Real de Santo António. Custo Estimado 100 Milhões de Euros (4M€/km).

4.       Hub logístico Faro / Loulé – Custo estimado - 140 Milhões de Euros.

 



No total serão investidos 600 milhões de €uros no melhoramento da ferrovia no Algarve.            
 

Em resumo, todo a ferrovia do algarve será transformada em Bitola mista, permitindo a circulação de comboios em bitola Ibérica e simultaneamente em bitola Internacional, ou europeia.


As vantagens são evidentes, possibilidade de transporte de passageiros em todo o algarve, mantendo as mesmas carruagens e locomotivas e transporte de mercadorias em bitola internacional (Evitando a perda de tempo e custos de transbordo) para mercadorias a exportar/importar provenientes de/para a europa e, ao mesmo tempo, permitir o transporte de mercadorias em bitola Ibérica de/para o resto do país.

 

Ligação ao Alentejo

 

1.       A ligação ao Alentejo, via Faro será nova passando por Beja (Aproveitando/Utilizando) o Aeroporto FANTASMA e terminando em Évora.

Com uma extensão de 144 km e um custo estimado de 608 milhões de €uros (44km x 7M€ (saída do Algarve - Morfologia do Terreno) + 100km x 3M€).

Esta linha Férrea será apenas em Bitola Internacional ou Europeia privilegiando a exportação, mantendo a chegada a Faro de mercadorias provenientes de outros pontos do território, pela linha já existente que serve igualmente o transporte de passageiros.


2.       Nova ligação com início no Porto de Sines passando por Évora, seguindo posteriormente para Elvas e entrando em Espanha via Madrid

Ligação Sines/Évora/Elvas, Com uma extensão de 250 km e um custo estimado de 750 milhões de €uros ou 3M€/km

Ligação a Madrid – Alteração da linha prevista que permitia a ligação TGV (Madrid/Lisboa) para permitir o transporte de Mercadorias ( A linha será em Bitola Dupla permitindo o transporte  para comboios em bitola Europeia e Bitola Ibérica.

Com uma extensão de ± 400 km, será feita em bitola dupla funcionando nos 2 sistemas e com um custo estimado de 1.200 milhões de €uros ou 3M€/km.


3.       Manter as linhas existentes para transporte de passageiros Lisboa – Évora / Lisboa – Beja e Lisboa Faro.

 

Alteração do troço entre o poceirão e a ligação à linha Sines Évora em Bitola Dupla, permitindo o transporte de mercadorias do porto de sines para o Poceirão, sem ir a Évora, extensão de 70 kms e custo de 140 milhões de €uros ou 2M€/km

4.       Ligação do Porto de Setúbal à plataforma logística do Poceirão, ± 35 km e 70 milhões de €uros de custo ou 2M€/km


5.       Ramal para ligação às minas de Neves Corvo - ±10 milhões de €uros

6.       HUB logístico de Évora – Custo Estimado 140 Milhões de Euros.

 

No total serão investidos 1.578 milhões de €uros no melhoramento da ferrovia no Alentejo e 1.200 milhões de €uros na ligação a Madrid.                                                                                                                                                             

Com a anulação do TGV, e de acordo com informação do governo ficam os tempos de percurso para transporte de alta prestação (200kms/hora) e transporte normal (100kms/hora)

 




 

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)