segunda-feira, 17 de março de 2014

O Manifesto e o nosso “Jornalismo”.

 

Anda meio mundo a discutir se temos, como país, capacidade de cumprir os compromissos assumidos e honrar os pagamentos e respectivos juros de uma dívida que não pára de crescer e que neste momento representa 130% do PIB.

O PIB de Portugal em 2013 ficou pelos 210.620 Milhões USD, 130% disto são 273.806 Milhões de USD ou 196.926.000.000,00€ é só isto que o pessoal deve, mais nada.

E vamos pagar? Claro que sim! Digo isso desde 2010 / 2011, vamos pagar tudo, até ao último tostão! Mas em escudos…

As tags (“Perfect Storm” e “Portugal vai sair do Euro?”) Tiveram o seu início em 2010 e 2011, e desculpem lá a falsa modéstia (hoje estou azedo…) não existe nada nesse manifesto que não tenha sido discutido em qualquer uma das TAGS.

Porque não existe nada de novo nos últimos 3 ou 4 anos, que nos permita agora, em meados de Março do belo ano de 2014, afirmar que a dívida é insustentável.

Tudo o que agora é visto e afirmado com clarividência por 70 iluminados já era conhecido, no mínimo em 2012!
Algum destes 70 é capaz de afirmar que só tomou consciência do problema em 2013 ou 2014?
  
Reconheço, que ao contrário de Portugal Bipolar, este Manifesto teve o condão de trazer a discussão para a praça pública, o que não entendo é o ar de espanto do “Jornalismo Economico” em Portugal.

O povo não sabe em quem acreditar e é compreensível.

O Governo diz uma coisa, a oposição, outra e o P.S. com sede de poleiro vai dizendo que NIM…

E para o nosso Jornalismo, outrora apelidado de “Soft” entre perder a face ou contribuir para enterrar Portugal a escolha acaba por ser simples…

Pelos vistos está tudo a correr como planeado, nos próximos 30 anos vamos crescer 4 a 5% ao ano, coisa que a Alemanha conseguiu 4 anos em 20 e vamos pagar tudo, em euros…

Jornalismo Económico? Portugal não tem Jornalismo, nem económico nem de qualquer espécie, tem Nanobots, que respondem presente, mas não aos Portugueses, nem aos interesses de Portugal.

São seres mesquinhos preocupados com a arte da Autopreservação, nada mais, e vale tudo! Tudo menos perder a face.

No fundo, somos homens ou somos ratos???

Hiii…hiii….hiii…

Hipócritas!

2 comentários:

;)