quarta-feira, 9 de julho de 2014

APISOLAR, “estuda” medidas para crescer 50% ao ano na produção solar fotovoltaica.



Olá APISOLAR, sou eu novamente, depois dos vistos GOLD e dos Reformados estrangeiros residentes em Portugal isentos de pagamento de IRS, chegou o momento de falarmos sobre as novas construções em Portugal.

A APISOLAR sabe quantos Edifícios foram concluídos em Portugal no ano de 2013? Sabe?
- Foram 19.680 edifícios, 5.267 no 1ºT; 5.222 no 2ºT; 4.656 no 3ºT e 4.435 no 4ºT.

Dos 19.680 edifícios concluídos 11.368 foram Novas Habitações familiares (Vivendas) 57.8%.
Mesmo a mais mixuruca das vivendas não custa menos de 250.000€, se obrigarmos todos estes projectos a considerar produção ou armazenamento de 50% das necessidades diárias estaríamos a falar novamente de consumos de 40KWh/60KWh por dia.  

Qualquer nova vivenda até 60KWh de consumo de energia por dia pode incluir nos custos de construção 13.000€ para 42m² de painéis solares fotovoltaicos, uma vivenda com 60KWh de consumo diário já não é uma pequena vivenda e já não custa 250.000!

Ou poderia escolher comprar baterias e neste caso eram 30KW de capacidade de armazenamento, com um custo de 30.000€.

Se para uma pequena vivenda de 250.000€ é fácil de comportar 13.000€ em Painéis solares ou 30.000€ em baterias, para as maiores e com custos que podem chegar a vários milhões, não é certamente o peso de produção ou armazenamento de 50% das necessidades diárias que vai fazer a diferença nos custos totais de construção.

Se a aposta for em painéis solares compram e vendem a energia a preço de mercado, sendo a aposta feita nas baterias o preço de compra e venda é igualmente o de mercado, mas para comprar será pago +10% sobre o preço de mercado para a REN (custos de transportes / perdas), tendo a vantagem de poder comprar energia a preços de 0.01€/KWh ou 10€/MWh.

Poderíamos estar a falar de mais 11.368 novos produtores fotovoltaico.

Poderíamos estar a falar de ± 477.456 m² de painéis solares.

Poderíamos estar a falar de uma produção anual solar de ± 127GWh ou 127.000MWh, energia produzida no local de consumo, onde sem custos de transporte mais de metade seria consumida pelo produtor / consumidor, libertando a rede.

Poderíamos estar a falar de adicionar 127 GW de produção solar anual com custo ZERO para o estado e para o contribuinte, tudo simples meus amigos, ou quem vai construir uma vivenda vai discutir ou fazer manifestações por pagar mais um pouco?

Poderíamos fazer muita coisa, mas não fazemos! Não fazemos porque a APISOLAR o que sabe é coçar os culhões e pedir ao contribuinte que pague tarifas estapafúrdias por cada KW de energia produzida.

Existem perto de 22.000 micro produtores fotovoltaicos instalados em Portugal desde 2006, com esta medida o crescimento poderia ser de 50% logo no 1º ano e melhor que isso, O CONTRIBUINTE PAGA ZERO!!!!

Dá para entender? Então para de coçar as bolas e fala com o nosso desgoverno, que não pagando nada até faz boa figura.

Com os melhores cumprimentos de um contribuinte depenado,

Jony

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)