quinta-feira, 7 de abril de 2016

O Bem Comum – Educação e Cultura






A cultura agrega “as artes, as crenças, a moral, hábitos, costumes e aptidões do ser humano”, sendo a educação a única forma conhecida de lá chegar.

Quando olhamos para a educação e suas mudanças nos últimos 40 anos de democracia, entendemos porque está o país novamente de joelhos.

A cultura é o expoente máximo de uma nação.

Eu, com todos os defeitos que tenho, olho para a cultura como o topo da pirâmide.

Uma pirâmide tem de ser construída pela base, uma base forte permite uma pirâmide sustentável, é tão simples…

Se os meninos não sabem escrever, se não sabem fazer contas, não conhecem a historia do seu povo, a solução não é assobiar para o lado e mudar tudo novamente, não, a solução é coisa diferente.

Lá está o bem comum.

A avaliação e a famosa meritocracia não são palavras vãs, são formas de estar na vida.

A avaliação e a meritocracia não existem na educação.

Não se avaliam os professores.

Não se avaliam os alunos e quando são avaliados não conta para nada.

Depois de tanta mudança sobram as pérolas e eu com essas, peço logo 2 cervejas (O John Nash também bebe).

Vamos imaginar que uma senhora professora está grávida…

Com o passar dos meses e o aumento de volume na zona da cintura qualquer um entende que a senhora irá parir!

Actualmente cumprindo todos os procedimentos demora entre 6 a 8 semanas!

A mulher está gravida, todos sabem a data aproximada em que esta professora vai deixar de dar aulas e a substituição demora 2 meses!

Não poderia existir por agrupamentos uma bolsa de 2 ou 3 professores de cada disciplina, prontos a entrar ao serviço?

Outra, vamos imaginar que a escola x tem 5 professores de matemática, quatro são do quadro.
Vamos imaginar que no ano seguinte a escola necessita de menos 1 professor, sai o que não está no quadro da escola.

Mesmo que seja o melhor, a antiguidade substitui o mérito e como a avaliação não existe, seja em que modelo for, será sempre injusta, sai o elo mais fraco.

Na educação a regra é mudar tudo na cultura resolvemos o problema à bofetada, está bem, pronto.

A cultura é mais do mesmo, quando oiço alguém falar em mais dinheiro para a cultura, sinto o mesmo que o meu ministro da pasta, 2 bofetadas naquelas trombas ainda era pouco!

Então o pessoal não sabe fazer contas e tu queres mais dinheiro para a cultura? Toma lá 2 chapadas, que te dou eu!

Recebemos 42 MM€ de impostos.

  • Gastamos 13MM€ com reformados e restantes prestações sociais;
  • Gastamos 9MM€ com a saúde;
  • Gastamos 8MM€ com a Educação;
  • Gastamos 6.5MM€ com juros da dívida que não para de crescer.
  • Gastamos 5 MM€ a comprar petróleo e o meu amigo quer mais dinheiro para a cultura?


Deixa-me adivinhar, quando tu andavas na escola a matemática era coisa pouco interessante, não era? Claro que era.

E agora de peito cheio queres opinar sobre o o topo da pirâmide quando te faltam as bases, está bem! Diz lá, queres mais dinheiro para a cultura!

Está bem, o Mar, a Agricultura, a administração interna, a defesa, os negócios estrangeiros, recebem mais?

Descobrimos petróleo ou diamantes? Vamos pagar ainda mais impostos?

Vai novamente para a escola, aprender a fazer contas, e eu depois falo contigo sobre cultura, coisa que pelos vistos és entendido. 


Sem comentários:

Enviar um comentário

;)