quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O.E. 2017, ou não é! (parte II) – Temos todos de perder, para depois ganhar…







Com uma dívida pública acumulada, que em 2017 chegará aos 250 MM€, isto já só dá para rir.

Para o PSD a única solução era, e é, cortar em salários e pensões, mantendo tudo o resto.

O resultado foram lutas intermináveis, venda dos principais activos nacionais e em 4 anos passar de uma dívida publica insustentável a rondar os 190MM€ para uma divida publica sustentável de 240MM€.

Agora temos governo PS, com apoio das esquerdas, onde a solução é devolver salários e pensões e reduzir o horário de trabalho da função publica para 35 horas.

Como não descobrimos petróleo ou diamantes, adicionámos impostos a uma economia asfixiada.

Foi no Tabaco;
Foi nos combustíveis;
Foi no IMI;
Foi em taxas e taxinhas que aproveitaram as correntes ascendentes e apanharam boleia, aumentando significativamente.

Tudo serve para alimentar a máquina.

E não passamos disto!

Os anos vão passando, vamos aumentando a dívida, vendendo o que existe e reivindicando alegremente.

Os aumentos têm que ser superiores à inflação, quando ninguém fala na produtividade.

Os reformados têm de ter o rendimento reposto, independentemente de no futuro, qualquer português com os mesmos descontos, ganhar menos de metade.

Os grupos de pressão têm de estar minimamente satisfeitos, para evitar perturbações (Transportes /Portos/Hospitais/Escolas).

Passivamente encolhemos os ombros, quando se fala da dívida, habituados a ouvir falar em milhões e mil milhões a maioria nem os distingue.

São milhões e pronto!

O importante é pensar no meu umbigo e reivindicar os meus direitos que a maré está favorável.

Pensando assim pequenino, nem nos apercebemos que nos últimos anos de luta perdemos em receita garantida:

·        A gestão Portuária.
·        A gestão dos Aeroportos
·        Produção de eletricidade
·        Transporte de Eletricidade
·        Telecomunicações
·        Banca


Resta a C.G.D. e o mar!

Considerando que a U.E. já informou Portugal que os peixes não têm morada fixa, chegou a hora de acordar?

Claro que não! Ainda é tempo de acreditar.

Vamos acreditar! Tudo vai correr pelo melhor, alguém vai resolver o problema.

Ainda não entendemos que o milagre das rosas proporcionado pelo PSD está directamente ligado a:

1.      Diminuição do barril de petróleo de 140USD para 50USD, Portugal gasta 277.400 BPD (Barris de Petróleo por Dia), em 365 dias são 101 Milhões de barris, representando uma poupança anual de 7 a 9MM€.

2.      Juros da divida baixaram, chegamos a ter juros superiores a 7%, estando actualmente perto de 3%, a 10 anos, poupança de 4 a 7MM€.

3.      Brutal aumento de impostos que permanece e asfixia a economia.

Vamos esperar, faltam apenas 930 dias para Portugal sair do €uro! Quem já esperou tanto, só falta mais um bocadinho…

Vamos olhar para os números?


Dívida – 250MM€ - 250.000.000.000€

Juros Anuais   – 7,5MM€ -      7.500.000.000€

Passaram 4 anos sobre isto (Parte I), que dizer?

 Tic! Tac! Tic! Tac! Tic! Tac! faltam 930 dias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)