segunda-feira, 3 de julho de 2017

As criancinhas mal-educadas.


Eu por principio, acredito que as criancinhas se educam até aos 36 meses. Cada um tem certamente as suas teorias, eu tenho esta.

A criancinha pode igualmente ser educada quando for maior, sei lá, dos 36 meses aos 72 meses?

Claro que sim, dá 10 vezes mais trabalho.

Eu tenho 2 e como me dizem tive muita sorte!!!

Tenho 2 filhos, tive sorte 2 vezes!

IMPRESSIONANTE!

Sorte é o meu nome do meio.

Tenho sorte em primeiro lugar porque tenho 1 filho com 13 anos que não leva porrada do pai vai para 8 anos.

Depois, sou parabenizado no Parque Infantil porque chamo a minha filha de 5 anos para vir embora e ela vem!

IMPRESSIONANTE.

O pai chama e a filha obedece…

Esta gente, não entende o básico.

Não entendem que um menino, quando com 3 meses acorda recorrentemente a chorar já está a educar os seus pais!

Eu choro e eles saltam! No segundo seguinte já tenho companhia.

Não entendem que podem aparecer no minuto 2, sorrindo e dizendo CALMA meu doce, o papá agora vai fumar um cigarrinho e aparecer passados 5 ou 10 minutos.

Não sabem que chorar desenvolve a caixa torácica aumentando a resistência pulmonar.
Não entendem que chorar faz bem!

Não entendem que um menino quando morde com 5 ou 6 meses já está a educar os seus pais.
E a conversa não pode acabar com AUUU do papá e riso da criança.

Não entendem que devolver uma mordidela a um menino não lhe provoca traumas infantis, explicando apenas que na vida, as acções trazem consequências e morder não é bom.

Possivelmente nunca aguentaram uma birra de 3 horas com o menino a chorar e nunca entenderão que não se travam todas as lutas, mas existem lutas e batalhas que não se podem perder!

Nesta batalha, o meu filho que é muito calminho tinha 15 meses…

Aquele Pirralho entendeu que naquela noite ia ganhar a batalha!

Então eu não durmo onde quero??? Toma lá com 3 horas de birra e choradeira que é para ver se aguentas!

Não aguentei! Cada vez que atingia os limites, chamava a mulher para tomar o meu lugar, cada vez que ela atingia os limites, entrava eu.

Sem conversas, luz apagada, mão na cabeça do menino, ou noutro lado qualquer para ele saber que estamos juntos, estamos juntos, mas quem ganha sou eu…

Foram só 3 horas!

Por milagre, no dia seguinte, o menino Tiago saiu da sala e entrou directamente no quarto dele para dormir, deitou-se e adormeceu.

Calminho…

A mais engraçada com o meu primogénito, aconteceu junto ao parque de nossa casa.
A caminho de casa, reparei no rosto iluminado do meu filho, sorriso de orelha a orelha, tinha descoberto a pólvora.

Depois da primeira nega um menino com a mesma idade, resolveu mandar-se para o chão, esbracejando, esperneando e gritando desalmadamente, MAS EU QUERO UM GELADO!!!!!

FINALMENTE o Tiago sabia como ganhar as guerras!

Isto é tão simples, uma birra assim e tenho tudo o que quero!

No meio de tando deslumbramento não se apercebeu que o seu pai se foi baixando, resultado?

Em pleno êxtase, ouviu um voz calma, explicando-lhe ao ouvido.

Se algum dia me fazes uma cena destas levas uma tareia daquelas, entendes-te?

Birras, no chão? Com gritos à mistura? Que vergonha!

Vamos embora! (Toque de ordem…)

Adivinhem lá quantas vezes eu aturei estas birras dos meus 2 filhos?

Claro que com a minha sorte, nem uma a registar.

Devo ser dos pais mais sortudos do mundo!

Confesso que estou ainda um pouco chateado, porque levei uma bolada na cara de um Pirralho de 6 anos, menino atrevido, segundo dizem.

Tive que lhe explicar que se isso voltar a acontecer, se mais alguma vez eu for agredido a vida lhe vai correr muito mal.

Julgo que entendeu, eu quando falo não tenho por habito deixar duvidas.

É o mesmo menino que segundo os papás, numa reunião com amigos, tem a seguinte tirada:
 - Ou tu te calas imediatamente ou levas com o spinner na cabeça!

Eu não consegui responder aos pais, julgo que apenas balbuciei que o meu filho não fazia isso.

Imaginem…

Os meus amigos e familiares, tudo reunido e o Tiago dizia para alguém esta bela frase…
Imaginem, por favor, porque eu não consigo.

Eu não sou o melhor amigo do meu filho, isso eu não sou, sou apenas pai, o porto de abrigo, aquele que está e estará quando tudo o resto falhar.



A teoria da minha amiga Paula


A Paula não é propriamente minha amiga, é grande amiga da minha cunhada, mulher e mãe de 5 filhos.

Os filhos são como os cães, só existem 2 tipos de educação.

1 – Tu mandas nos teus filhos.

2 – Os teus filhos mandam em ti.


Ela e o marido, com esta teoria tiveram muito mais sorte que eu e a minha mulher.
Então não é que tiveram 5 filhos e são todos calminhos!


5 filhos todos calmos, ainda dizem que eu tive sorte…Ponham, mas é os olhos na minha amiga Paula.

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)