sábado, 12 de junho de 2010

Deus criou o Português


Nos dias que correm, com as preocupações próprias de um mundo em recessão, raras são as vezes em que dou por mim a rir à gargalhada,
Aquele tipo de riso, que até faz chorar.
A minha simbólica homenagem, a alguém que nunca tinha ouvido falar(Eu também dou-me pouco á leitura)
Segue texto de Um Srº Chamado João Quadros


"Na sequência do 10 de Junho, e perante o momento dramático que a Nação vive, julguei por bem dar a conhecer aos portugueses a génese do problema: o momento em que Deus criou o Português
DEUS: Santa paciência! Já viste as horas? Não, porque eu ainda não inventei. Estou cheio de sono. Se não descanso de dois em dois dias não consigo fazer nada!
ANJO: Mas, já estamos atrasados nos Continentes.
D: Mas, afinal, quantos Continentes é que ficámos de fazer?
A: No projecto estão nove Continentes. Ásia, África, Europa, Oceânia, América, Atlântida, Mariana, Júlio…
D: Chega! Isso são Continentes a mais. Agora toda a gente quer ter um Continente. Faço, mas fecham aos domingos. Quantos é que já fizemos?
A: Cinco…e a Atlântida que ainda está a meio - falta as montanhas, pôr os dragões, os esgotos e…
D: Ficam esses cinco e o resto enche-se de água.
A: Tem a certeza? Fica esquisito. Fica muita água e pouca terra. Pode parecer que estamos a querer cortar nos custos.
D: Pomos cenas na água. Coisas baratas, tipo: sal.
A: Água e sal, fica pobrezinho. Parece uma bolacha.
D: Pomos…leite?
A: Pode azedar…

D:
Já sei! peixes!
A: Era suposto eles voarem e fazerem ninhos, lembra-se?
D: Nunca gostei da ideia de acordar com um robalo a chilrear na árvore do meu quintal. Está decidido. Mete-se na água: sal e peixes. E dá-se um nome pomposo a cada um deles e está safo. O que é que ainda falta fazer hoje?
A: Na lista temos: o vírus da papeira...
D: Isso não. Ainda apanho a doença e depois para ter filhos vai ser o cabo dos trabalhos.
A: Temos o Scirocco e o Passat.
D: Mas eu sou alguma linha de montagem de automóveis!
A: O Scirocco é um vento do deserto. Foi ideia sua.
D: Estou cheio de sono e o vento faz-me sono. O que é que está aí em último da lista?
A: Em último está. Deixe cá ver…o português.
D: Eu faço isso e depois vou-me deitar. O português! É isso que eu vou fazer! Isso é estilo quê?! Estilo abacate? Estilo kiwi?
A: O português é o sujeito que vai habitar aquele rectângulo que fica entre a Espanha e o mar.
D: Julgava que isso era tudo Espanha. Mas eu faço o português. Eu faço isso num instante e caminha que estou com uma soneira que nem vejo. Ora, junto cereais Ser humano. Já está. Corante. Já está. Essência de pelo... não muito se não passa para as fêmeas da espéciezzzz
A: Ei! Chefe!
D: Ai! Eu não estava a dormir. Estava a medir a quantidade. Mais um bocadinho. Agora é que está bom…Ponho colesterol, uma boa porçãozita faz bem à saúde. Ou era ao contrário? Faço sempre confusão com isto. Agora ponho um bocadinho de saudosismo. E daquilo que pus nos gregos. E chega-me aí o frasco de não cuspir no chão.
A: ups! Deixei cair….
D: Que se lixe! Deito o dobro de educação. Ora educação… queres ver que se nos acabou a educação… Isto mal dá para uma dose. Espera lá, vou antes deitar disto que tem 60º de fado. E já deitei saudade? Acho que não. Vai um bocado de saudade para compensar. E mais disto e disto, e uma gota de défice, pouco que isto alastra, e um bocado de saudade que faz sempre bem, jeito para a bola para se entreterem e junta-se água…
A: já não temos…
D: ...ou vinho. Chocalhar. E está feito - o português! tá óptimo. Podes mandar para a Terra. Vou-me deitar.
A: Tão depressa?! Nunca fez um povo tão depressa. Tem a certeza que ficou bom?!
D: Não é dos melhores, mas não é mau. Também não se pode fazer alemães todos os dias, não é? Há dias em que estamos menos inspirados. Podes mandar lá para baixo. Agora, vou para a caminha que tenho cá o diabo de manhã. Ele quer alugar a cave.

Sugestão da semana

Grigori Perelman, um génio matemático russo, resolveu um dos mais complexos problemas matemáticos da história - a Conjectura de Poincarré - e recusou um milhão de dólares de prémio a que tinha direito. Isto devia fazer soar campainhas nos ouvidos dos nossos governantes. A conjuntura de Portugal é também um problema matemático complexo para o qual ninguém arranja uma solução há mais de um século.

Medina Carreira, entre tiques, diria - qual Poincarré, isto não tem solução! - eu, com menos espalhafato, acredito que este senhor podia ser a solução definitiva para Portugal. Começa pela equação do perímetro de um rectângulo, junta-lhe dez milhões e vai por aí fora e, daqui a um mês, o problema está resolvido.

Produto da semana

António Serrano disse recentemente não estão a ver quem é António Serrano? É o Ministro da Agricultura. Disse, acreditar que Portugal poderá reforçar a liderança mundial na produção de cortiça. Faço minhas as palavras de Serrano. E faço mais. Chamo a atenção da corticeira Amorim para uma oportunidade de négócio. A Vuvurrolha!

Feita de material natural, a Vuvurrolha podia ser o produto mais vendido do Verão de 2010. A apostar."

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)