terça-feira, 11 de outubro de 2011

Chega de pensar pequenininho, dentro da caixinha! CHEGA!


Muito se tem falado do custo da energia em Portugal, sendo um assunto que afecta tudo o que mexe.
A energia é um tema particularmente interessante desde logo porque de Produtores a consumidores, passando por distribuidores, todos tem uma palavra a dizer e claro interesses a defender, não sejamos ingénuos…

O interesse do consumidor é o mais fácil de explicar, ter a electricidade que necessita, quando necessita o mais barato possível!
SIMPLES!

Em 2012 Portugal não terá nenhuma empresa de electricidade, se promover a livre concorrência entre o mercado Ibérico com melhores ligações a Espanha só teria a ganhar.

As necessidades Portuguesas de energia em dias normais variam de 2.000MWh a 5500MWh.

Em dias de Grande consumo a variação é entre os 4.500MWh e os 9.200MWh, (julgo que o dia de maior consumo não ultrapassou os 9.200MWh).

Espanha tem em dias normais produções médias de 50.000MWh chegando em dias de pico perto dos 100.000MWh.

Tem  algum sentido apostar em Centrais nucleares, quando com melhores ligações a Espanha poderemos facilmente satisfazer as nossas necessidades?

Eu sei que a energia nuclear é a que melhor preço oferece por MWh de energia produzido (sem falar dos riscos associados).

Se existirem ligações a Espanha de 5.000MW teremos certamente o nosso problema resolvido!

E se apostarmos no Armazenamento?
Temos Lítio(matéria prima) se exportarmos os calhaus não acrescentamos valor!

Se nos associarmos a uma empresa Japonesa ou americana teremos uma fábrica a produzir baterias para armazenamento de energia.
Dá para carros (pequenas baterias) e dá para armazenamento temporário de energia (empresa 123 Sistems=44MW).



Portugal é muito grande? Óptimo, iniciamos os testes em ilhas açorianas onde o consumo é muito reduzido e sendo isolado são locais de teste perfeitos!
O Corvo têm necessidades Máximas energéticas de 4MW por DIA!

As Flores têm necessidades energéticas de 35MW por DIA!

Temos Igualmente de considerar armazenamento de energia com em cavernas com ar comprimido existindo actualmente tecnologia disponível que permite até 200MW de armazenamento.

A REN utiliza um método semelhante que garante a Portugal 3 MESES de independência no fornecimento de Gás!

Sendo aliás este, o alvo mais cobiçado pelos investidores que estão disponíveis para investir na privatização da REN!

Estariam eles interessados em controlar as linhas de distribuição de energia em Portugal se não estivesse incluído mais de 3 MESES de armazenamento de gás no pacote?

Temos também armazenamento por bombagem de água o mais engraçado visto que os rios passam a andar para traz, mas também o mais dispendioso tendo um desperdício de 30%.
Mas se o custo médio em Espanha ronda os 50€ MW, também eles em determinada altura do dia tem energia no mercado a 3€MWh ou a 5€ ou a 10€ o MWh, com desperdícios de 30% sobre estes valores e com boas ligações a Espanha é igualmente rentável.

Temos igualmente o sistema FLYWEEL com capacidade de armazenamento de 20MW a 50MW, não produz energia, mas pode passar de armazenador de energia a fornecedor em 4 segundos!
Tem custos de construção de 1.5 Milhões de Euros por MW de capacidade de Armazenamento/fornecimento.

Não fazendo poupança de escala para armazenar 2.500MW custaria 3.750 Milhões!
A estes valores 10.000MW de energia armazenada = 15 mil milhões!
A estes valores 100.000MW de energia armazenada = 150 mil milhões!
Qual a dívida das empresas de transportes?
Qual o melhor sistema para Portugal?

SÃO TODOS! É só abrir os olhos!

Temos 4 maneiras de armazenar energia! Cada um dos sistemas pode investir em armazenamento até 25.000MW em Portugal que fica isento de impostos até que o investimento esteja pago!

Fica igualmente no futuro a pagar 10% de IRC (a Irlanda tem 12.50% Portugal para armazenamento dá 10%)!

Se tudo for implementado gradualmente até 2030, Portugal fica com capacidade de armazenamento Superior ás necessidades diárias do país, mesmo em dias de maior consumo, esta capacidade serve de objectivo e de meta a atingia 100.000MW de Armazenamento! (1 a 2 dias de energia gasta em Portugal)

Custo muito fazer um acordo com Espanha assumindo ligações entre os países de 2.000 a 5.000 MW e informando que podem produzir regularmente sem altos e baixos que Portugal tem capacidade suficiente de armazenamento?

Quanto vale uma capacidade de armazenamento de 100.000MW na Jangada de Pedra?

Pronta a ser utilizada?

Vale certamente o sofíciente para ser bastante vantajoso para Portugal e para Espanha.

Com boas Ligações entre Espanha e França 100.000Mw de Armazenamente garante sem problemas a paragem de 2 centrais nucleares com produção de 1.500MWh e todas elas param 30 dias (de 18 em 18meses...)
Actualmente este tipo de necessidades é transaccionado a 3€ MW em dias ventosos, sendo posteriormente passada a Marrocos…

Sendo armazenada custaria o máximo de 400.000€ já com mais de 30% de desperdício para 100.000MW!

Sendo possível armazenar 100.000MW estamos a armazenar 20 a 40 horas de energia em Portugal ou 20% das necessidades de Espanha/França por 400.000€?

Tem algum sentido continuar a proteger o mercado Português de electricidade?

Tem algum sentido não apostar em potentes interligações energéticas entre os dois países?

Tem algum sentido pensar em energia nuclear quando caminhamos para uma liberalização do mercado e temos a nosso lado um GIGANTE que por necessidades próprias tem que ter capacidade instalada em dobro relativamente às necessidades normais do país? Tem de pagar por essa capacidade instalada que funciona em média a bem menos de 75%?
Espanha, por necessidades próprias, pode produzir em 1 hora energia suficiente para as necessidades Portuguesas até 2 DIAS!

E nós vamos apostar em energia nuclear porque é mais barato?
Mais barato para quem?

Se o mercado vai estar completamente liberalizado dentro de no máximo 3 a 5 anos?
Vale a pena apostar no nuclear quando se vende diariamente energia a 2€ ou 3€ o MW? TODOS OS DIAS! E em quantidade suficiente para que Portugal tenha um preço muito, mas muito competitivo?

Claro que temos de dividir isso com Espanha!

Mas não é um negócio muito melhor, visto que as necessidades nacionais são insignificantes comparadas com as dos nossos vizinhos?

Não chega já de pensar pequenininho e dentro da caixinha? 

6 comentários:

  1. Bom dia,

    Aqui está um bom exemplo do que venho falando à mt tempo. Temos mesmo de ser pioneiros em alguma coisa para inverter este estado de coisas, e pensar em grande, que não exista dúvidas de que sem uma energia acessivel a todos não vamos a lado nenhum (entre outras coisas necessárias).
    Mas para um consumidor comum que paga 40 eur de luz/mês, quanto é que ficaria a pagar por mes nestas situações apresentadas? E para as empresas qual seria a percentagem a reduzir anualmente no custo de energia?
    Se me podesses responder, agradecia, uma vez que não estou mt por dentro destes custos... a minha area é a financeira. ( e não tenho falado mt dela neste espaço, pq acho que ainda está por inventar novas ideias para o bem comum).

    Ass: NM

    ResponderEliminar
  2. Boas Nuno,
    Eu concordo que a energia e o seu preço é um dos muitos problemas a resolver.
    O que eu não entendo é como pode Portugal ter uma politica energética esquecendo o gigante que tem como vizinho que por mero acaso tem necessidades 8 a 10 vezes superiores.
    Não será mais barato perguntar aos espanhóis se não querem trocar as velhas centrais nucleares por 6 a 8 novas, que Portugal contribui com 10 a 15% (desde que construídas depois de Madrid, para o lado de França!).
    8 novas centrais com capacidade de produção de 1500 MHh/cada é ter 12.000 MWh de energia nuclear, perto de 20% das necessidades de Espanha.
    Com um custo de 5.5 mil milhões cada totaliza um investimento de 44 mil milhões.
    Cabendo a Portugal entre 4 a 6 mil milhões.
    Conforme foi explicado deveríamos investir em melhores ligações com Espanha e capacidade de armazenamento até 10.000 MW com investimentos entre os 15 mil milhões e os 25 mil milhões (dependendo da forma de armazenamento).
    Bons Blogs para se retirar informação:
    1. Ecotretas
    2. A Ciência não é neutra
    3. Luz ligada
    Todos estes blogs tem conhecimento profundos sobre a matéria, todos eles defendem o nuclear, não entendendo que não podemos pensar sozinhos, pois temos um gigante como vizinho…
    É em minha opinião pensar pequenininho, dentro da caixinha, mas para expor o engano que tem sido as renováveis e os respectivos preços praticados está bem…
    De resto toda a analise correcta que fazem da situação, apenas abordam Portugal numa perspectiva fechada, nunca ibérica e analisando como única forma de armazenamento de energia a bombagem (a mais cara).
    Defendem a construção de 2 centrais nucleares para Portugal com produção de 1.500MWh de energia.
    Vamos importar 100% da tecnologia para termos disponível capacidade de 3.000MWh, perto de 6% das necessidades dos nossos vizinhos…
    É esta para eles a melhor solução…

    ResponderEliminar
  3. Meus amigos,

    O nuclear está morto!! esqueçam!! é um risco demasiado pesado para suportar.
    O futuro da energia tem de passar pelas renováveis e principalmente pelo armazenamento aqui falado!!

    ResponderEliminar
  4. Depois de confirmar que Portugal já tem actualmente perto de 3.000MW de armazenamento por bombagem, foi alterado o Objectivo de Portugal 2030 de 10.000MW para 100.000MW

    ResponderEliminar
  5. A rede de muito alta tensão constitui aquilo que em economia se designa por um monopólio natural do estado (a água potável é outro exemplo). A privatização da REN foi um disparate, e a coisa só se aguentará nas mãos de privados se o Estado - entenda-se: os contribuintes - assegurarem aos privados a remuneração do capital pelo valor que eles determinarem. E esta gente em Portugal é normalmente muito, muito, gananciosa... Não conheço um único sítio do mundo onde uma empresa privada, assumindo exclusivamente ela o risco desse investimento, tenha construído para explorar ela própria, uma rede destas... Quando a remuneração não for a desejada, os privados fecham a porta e o mexilhão fica com um problemão... (cf California)

    Por outro lado, como a aplicação dos fundos da Segurança Social não tem de oferecer períodos de retorno com menos de 3 anos (ou até instantâneos como a maioria dos «empresários» portugueses gostam), uma solução que passasse por aplicar este dinheiro dos contribuintes, na constituição e propriedade de empresas do tipo REN, BRISA , Águas de Portugal, poderia ser interessante - e seria mais interessante do que os títulos de dívida pública desta república...

    Relativamente à central nuclear em Portugal só tenho uma objecção: num país de corrupção endémica generalizada desde 1143 (disfarçada com nomes como cunhedo e compadrio) tenho uma total incapacidade de admitir que o corpo técnico dessa hipotética central lusitana, não viesse a incluir engenheiros formados aos Domingos, controlados por magos do EXCEL e do POWERPOINT... E - como é evidente - os resultados não seriam, digamos, os menos radioactivos...
    Se tem dúvidas sobre o alcance desta minha afirmação sugiro-lhe a leitura «à advogado», do artigo da Constituição onde se regulamenta o acesso à Função Pública. É um extraordinário monumento à vigarice legalizada, que perdura desde que a Constituição foi redigida.
    Obrigado pelo espaço,
    AM

    ResponderEliminar
  6. Boas AM,

    Começando pelo fim, este espaço é de todos como não tenho cansado de repetir.
    Todos tem o direito à sua opinião, mesmo quando essa opinião é completamente diferente da que eu defendo!
    Desde que exposta com moderação sem ofensas e suportada por dados.
    Sempre fui da opinião que a discussão fundamentada leva os seus participantes a melhores conclusões!
    Sobre a REN e as Aguas partilhamos a mesma opinião!
    Já sobre o investimento dos fundos da S. Social...calma, muita calma...
    Esses fundos em minha opinião deveriam estar disponíveis na CGD.
    Seria a CGD e seus administradores a decidir em que empresas portuguesas eles deveriam ser aplicados, a remuneração dos mesmos teria uma base fixa que duraria o tempo em que estivessem à frente da instituição e uma base variável que dependia do rendimento das aplicações durante os 10 anos posteriores à saída desses mesmos administradores de funções...
    Sobre o nuclear, temos opiniões opostas, eu sou contra o nuclear e a favor da aposta em armazenamento+Hídrica+eólica, sejas a favor ou contra, do que conheço existem 3 blogs que falam bastante sobre energia, seus custos e vantagens e desvantagens para Portugal.
    Não partilho a opinião deles, mas tenho de reconhecer que apesar de terem graves erros no que toca ao armazenamento por bombagem, tenho de reconhecer que a informação disponibilizada é bastante útil para uma futura discussão em Portugal sobre energia.
    Os Blogs são:
    1 - Ecotretas
    2 - Luz Ligada
    3 - A ciência não é neutra.

    Cps

    Jony

    ResponderEliminar

;)