domingo, 11 de dezembro de 2011

Almofadas Solares

Se o custo da energia Eólica ou de Cogeração é absurdo pelas benesses que fornece, não encontro forma de adjectivar o custo da energia solar.

É que o custo são 339.8€/MW…
De todos os meios de comunicação existentes em Portugal quantos falaram do preço da energia solar?

Falaram da instalação da maior central fotovoltaica do mundo, mas do seu custo NADA.
Recorrendo aos Blogs da TROIKA energética portuguesa fiquei a saber que a produção nacional de Agosto de 2010 a Julho de 2011 foi de 179GW ou 175.000 MW, que remunerados a 339.8/MW estamos a falar de um custo anual 59.5 Milhões de Euros.

Até na energia Eólica que custa perto do dobro do preço médio praticado em Portugal o preço para a mesma produção seria 5 vezes inferior.
Este dinheiro vai para 4 ou 5 empresas que o retiram de Portugal, mas se a energia em vez de ser produzida em NENHURES for produzida nas cidades nos telhados das habitações o lucro passaria a estar distribuído por milhares de particulares e o dinheiro ficaria dentro de portas.

Resumindo, nem quando roubamos descaradamente o fazemos em proveito próprio…
Depois dei uma olhadela no Wikipedia para saber quantas centrais existiam em Portugal para ter uma ideia do absurdo a que chegamos e qual seria o roubo anual e fiquei abismado nasceram tipo cogumelos.

Este Parque está localizado na freguesia de Brinches do concelho de Serpa, uma das zonas mais ensolaradas da Europa. Uma área total de 64 hectares é coberta por 52 mil painéis fotovoltaicos de silício monocristalino de alto rendimento (14 a 18%), com a potência total de pico de 11 megawatts. Os painéis encontram-se 2 metros acima no solo, permitindo assim, que o terreno continue a servir para o pastoreio. Este projeto tem a capacidade para fornecer energia elétrica a 8000 lares (21 GWh) e evitará a emissão de cerca de 19 mil toneladas de dióxido de carbono por ano. A sua construção foi iniciada em maio de 2006 e a inauguração a 28 de março de 2007. As empresas proprietárias deste parque são a GE Energy Financial Services, a Powerlight Corporation e a portuguesa Catavento.

Além das duas centrais descritas anteriormente existem outras de menor dimensão ainda em construção no Baixo Alentejo, nomeadamente o Parque Solar de Almodôvar (2,15 MW) da empresa alemã WPD, e três no concelho de Ferreira do Alentejo, nomeadamente, a Central Solar de Ferreira do Alentejo (12 MW) do grupo português Generg , a Central Solar de Ferreira (10 MW) da Sociedade Ventos da Serra e a central da empresa Netplan com 1,8 MW distribuídos no conjunto de cinco pequenas centrais. A empresa Cavalum [11] dedica-se à exploração de energias renováveis e já instalou duas centrais no concelho de Mértola, nomeadamente a Central Fotovoltaica de Olva, com a potência de 500 kW e Central Fotovoltaica da Corte Pão e Água com 756 kW. Esta empresa pretende explorar três instalações no Distrito de Bragança estando a Central de Lamelas já em funcionamento com uma potência de 100 kW, no concelho de Freixo de Espada à Cinta. No mesmo concelho está em estudo outra instalação que terá 2 MW de potência.

A maior central fotovoltaica em meio urbano do mundo será instalada no Mercado Abastecedor da Região de Lisboa com uma potência total de 6 MW, o que corresponde ao consumo de três mil lares.

A empresa Sonae também pretende instalar um milhão de metros quadrados de painéis solares em algumas das suas instalações comerciais, o que corresponderia a um total muito superior ao parque fotovoltaico de Moura.

Um projecto piloto inovador será instalado no TagusPark com produção de 500 kW.
Isto tem de acabar, de uma maneira ou de outra…

Alteração I

Com a entrada em funcionamento de novas centrais solares A produção total de 2011 foi de 262 GW ou 262.000MW com pagamento a 339.8€/MW dá um total anual de 89.027.600€, são só 89 Milhões.

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)