domingo, 26 de fevereiro de 2012

Portugal não é a Grécia? (2ª Parte)

Já é impossível esconder o que é evidente para todos.

A Grécia vai sair do Euro!
O segundo programa de “ajuda financeira” à Grécia não é para cumprir, sabe quem o elaborou e sabe quem o deveria executar.

Já nem falo dos delírios de em 2020 os Gregos deverem 120% do PIB (se tudo correr bem).
Nem de em 2014 terem um excedente primário de 9.5 mil milhões isto é gozar com quem caiu, está no chão, no buraco, não estás morto, Filho da Puta! O teu problema é estar mal enterrado…

É esta prepotência Germânica que vai correr mal, para os Gregos primeiro, para os Portugueses depois e para os Alemães por último, que a manter este rumo são quem mais vai perder.
Mas de momento estes vivem no mundo do faz de conta, imaginando uma Alemanha prospera no seio de uma Europa destruída, fantasiando na melhor das hipóteses com um euro loiro de olhos azuis.

Ridículo!
O novo animal amestrado da Senhora Merkel, o nosso coelhinho julga ter encontrado a solução para Portugal.

Não fala, não discute nem propõe soluções, vai abanando afirmativamente com a cabeça consoante as ordens que lhe são dirigidas, movimentando o rabinho em sinal de amizade.
O ministro do Interior da Alemanha, Hans-Peter Friedrich, veio hoje finalmente abordar o obvio, pediu abertamente a saída da Grécia do Euro.

"Não estou dizendo que a Grécia deveria ser expulsa, mas que sejam criados incentivos aos quais ela não possa dizer não”.
No reino da Tugolândia, coelhinho o nosso animal amestrado quando fala ao país sofre uma metamorfose, transformando-se num famoso boneco de madeira com o nariz comprido.

Vejamos, aumentamos IRS, IRC, IVA e neste momento taxamos tudo o que mexe mas a receita de Janeiro 2012 foi inferior em 7.9% ao mesmo mês de 2011.

O estado necessita de mais receita, para isso aumenta os impostos, mas como a carga fiscal já ultrapassa o limite do aceitável a receita diminui e o Pinóquio informa que nada aponta para a necessidade de mais austeridade.

Temos de mudar a maneira como elegemos os nossos representantes assim nem em 2050 saímos da cepa torta!

2 comentários:

  1. A Grécia vai cair, e nós também, mas acredito que só depois das eleições em França e Alemanha.
    A ideia é que a falência de gregos e portugueses não aconteça antes das eleições, para que não prejudique os partidos de Merkel e Sarkosi.
    A falência dos dois países já estará escrita algures, só faltará saber o dia e a hora.

    ResponderEliminar
  2. Eu acredito que a Grécia cai antes das eleições em França e Portugal antes das eleições na Alemanha...

    ResponderEliminar

;)