terça-feira, 16 de junho de 2015

Legislativas 2015, ± 1 milhão de mortos inscritos para votar… 4 anos depois!



Quando em 2011 andei a vasculhar os números cheguei à brilhante conclusão que existia perto de 1 milhão de mortos inscritos para votar.

Por mera "coincidência jornalística” no dia seguinte a mesma notícia era 1ª página do Correio da Manhã.

Passaram mais de 4 anos, todos os grandes problemas identificados na altura estão iguais ou piores e mantemos o 1 milhão de mortos.

Se em 2011 estavam inscritos para votar 9.629.630 maiores de 18 Anos em 2015 temos ”apenas” 9.485.604 indivíduos?

Para onde foram os outros 144.026? Mortos não pode ser! São mais de 100.000 por ano…

Emigrantes, já sei, são os emigrantes! Nobres Portugueses que sem oportunidades na pátria que é sua foram tentar a sua sorte noutras paragens, será isso?

Também não pode ser, só em 2013 saíram de Portugal mais de 128 mil!

Todos os dias saiu 1 avião Airbus cheiinho, levando mais de 350 Portugueses, todos os dias!

E isto está a melhorar…

Como é isto possível num país onde temos uma plataforma com vigilância de mortalidade em tempo real, demorar mais de 4 anos para actualizar dados?

A resposta surge com a naturalidade própria de um Português, o financiamento das autarquias é feito por transferências do Orçamento do Estado em função do número de eleitores de cada concelho…

E voltamos à velha máxima “Temos de mudar a maneira como nos governamos”, temos mais de 60.000 “Representantes do Povo” quando com 6.000 seria perfeitamente possível governar o país e ter o povo proporcionalmente representado.

Se nem na assembleia os nossos representantes trabalham em exclusividade, andando mais preocupados com outros negócios, de que estamos *à espera?

Que isto melhore por artes mágicas?

Deve ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)