sexta-feira, 29 de abril de 2016

700.000 Litros de Gasóleo/Fuelóleo para produzir electricidade diariamente em 11 ilhas Portuguesas. Portugal Ecológico...

Todas as ilhas portuguesas utilizam gasóleo ou fuelóleo para produzir energia eléctrica.

Umas em dependência exclusiva, outras nem por isso, mas todas dependem de combustíveis fosseis.

Temos 11 ilhas habitadas e 12 centrais Termoeléctricas! Porquê?

Porque não dá para fazer de outra maneira, gastamos diariamente 700.000 Litros de Gasóleo e/ou fuelóleo para que todas as nossas ilhas possam produzir electricidade. É assim e pronto.

700.000 litros por dia custam mais de 1 milhão de €uros e só estamos a falar da matéria prima para as centrais termoeléctricas, o ano tem 365 dias, é só fazer as contas, como dizia o dialogante.

A que eu mais gosto é a central termoeléctrica da ilha do Corvo.

Por dia produz 4/5 MWh e gasta ±1.000 litros de gasóleo.





Normalmente aproveita as 18/20 viagens anuais do famoso Navio “CHEM DAISY”, muito acarinhado em Portugal Bipolar, à ilha das flores e é igualmente reabastecido.

O problema é nos dias de intempérie que causa agitação marítima, nesses dias a Ilha do Corvo não pode receber combustível, com um porto minúsculo a descarga revela-se tarefa impossível.

Como é fácil de perceber o nosso Daisy não pode esperar eternamente que as condições fiquem ideais.

Pode esperar umas horas, e tal, mas se a tarefa se revela impossível vai à sua vida, existem mais ilhas que necessitam de ouro negro, com vários depósitos o DAISY é versátil, transporta ouro negro com sabores, Gasóleo; Gasolina; fuelóleo, é só escolher!

Não descarregando no Corvo, a Ilha das flores absorve o combustível, tendo reservatórios com capacidade suficiente para acomodar as necessidades de uma ilha com 430 habitantes, resta esperar que o combustível ganhe asas e percorra 20 kms para esta adversidade ficar resolvida.

Mais um dia que chega ao fim neste país ecológico à beira mar plantado e a Ilha do Corvo continua com uma embrulhada por resolver, as reservas chegam para 2 dias, 3 no máximo e RED BULL misturado com derivados de petróleo não se afigura como solução.

Portugal é um país desenrascado, rapidamente a força aérea recebe nova missão! É necessário passar pela Ilha das Flores e fazer umas 20 viagens de ida e volta ao Corvo, para descarregar combustível.

1.000 Litros de gasóleo para 1 helicóptero é tarefa bastante acessível, mesmo em condições adversas, não quer isto dizer que no meio de furacões andem "helis" a entregar gasóleo, mas até de noite podem executar a missão e com ventos moderados.

A missão é um sucesso e todos dão hurras de alegria, afinal mais um problema acaba de ser resolvido.

Se houvesse outra maneira, mas não é possível.

O mais engraçado é que bastava à Ilha das flores aumentar a sua produção em 15% para satisfazer todas as necessidades energéticas da Ilha do Corvo.

Cómico é que existem cabos eléctricos submarinos com mais de 600 kms de comprimento e 700 MWh de capacidade (NorNed), para ligar as Flores ao Corvo bastava 2 MWh ou 5 MWh, para em 1 hora se poder descarregar no Corvo as necessidades de 24, com 20 kms de mar a separa-las, presumo que a distância não seria um problema.

Poderíamos juntar 50 seguidores solares, dos 2.520 que existem na Amareleja e umas ventoinhas fraquinhas. Assim umas 6 ou 7 de 300 KW, totalizando 2.1 MW de capacidade instalada, no continente temos mais de 6.000 MW, não podemos instalar 2 MW no Corvo?.

Finalmente baterias, ou qualquer outra forma de armazenamento, convenhamos que 5 MW cobrem as necessidades da ilha durante mais de 24 horas.

Mas se temos Lítio que vendemos em calhaus aos Alemães eu preferia baterias produzidas em Portugal.

Ficava a Ilha do Corvo sem problemas de energia, fechava uma central Termoeléctrica e os custos diminuíam em vez de aumentar.

Se existirem 20 ou 30 carros na Ilha do Corvo são muitos, custava começar por lá a mobilidade eléctrica?

Com estes custos oferecer carregamentos eléctricos de borla para sempre até dá lucro ao contribuinte, vai uma aposta?

Critérios de Rendimento

  • Seguidores Solares - 80% do rendimento registado na Amareleja.
  • Torres Eólicas - 30% da capacidade instalada.
  • Centrais Térmicas - 230 Litros por MW de energia produzido


2 comentários:

Anónimo disse...

"230 litros por MW de energia produzido"
MW é uma unidade de potência, não de energia. Para quem sabe tanto de tudo ...

Portugal Bipolar disse...

Tens algo a contribuir para este assunto?

Alguma coisa, por pouco que seja?

cumprimentos,

João