segunda-feira, 26 de julho de 2010

Justiça e Freeport


Justiça na Tugolândia, é coisa que nunca falha, pode até demorar alguns dias…mas no final, lá está ela a libertar de qualquer suspeita, quem foi injustamente acusado.
Julgo que a primeira vez que ouvi falar do caso Freeporte, estávamos em 2004,
E não é que o caso já chegou ao fim…
Terminaram a investigação! Porreiro pá!
O Departamento Central de Investigação e Acção Penal deu por concluído o processo relacionado com o licenciamento do 'outlet' de Alcochete.
"O processo Freeport está dado como concluído e amanhã [terça-feira] será divulgada uma nota", comunicou hoje o DCIAP à agência Lusa.
Em meados de Junho, a directora do DCIAP, procuradora-geral adjunta Cândida Almeida, disse que o processo Freeport estava "no fim" e que esperava que estivesse concluído antes das férias judiciais de Verão.
O prazo do segredo de justiça termina amanhã. Porém, segundo a magistrada, o facto de o processo passar a ser público para todos os intervenientes "não causará problemas porque a investigação está no fim".
Entre os arguidos estão os empresários Charles Smith e Manuel Pedro, o arquitecto Capinha Lopes, o antigo presidente do Instituto de Conservação da Natureza Carlos Guerra e o então vice-presidente deste organismo José Manuel Marques e o ex-autarca de Alcochete José Dias Inocêncio.
O processo Freeport teve na sua origem suspeitas de corrupção e tráfico de influências na alteração à Zona de Proteção Especial do Estuário do Tejo e licenciamento do espaço comercial em Alcochete quando era ministro do Ambiente José Sócrates, actual primeiro-ministro.
Melhor que este caso só mesmo o da Casa pia, passados 10 anos, iremos todos chegar á brilhante conclusão que os putos foram ENRRABADOS, mas, só não se consegue é provar por quem…
É a justiça que temos, cega como convêm!

Sem comentários:

Enviar um comentário

;)