segunda-feira, 16 de maio de 2011

Portugal_O Senhor dos Aneis_ A Recuperação XVII

Farto de política e de mentiras encontrei um artigo que pode ser útil a Portugal.


A Islândia, depois de ter entrado em falência técnica e depois de inundar os céus europeus com cinzas vulcânicas está agora a pensar fornecer até 10% da energia consumida na Europa.

Aproveitando a energia Geotérmica os Islandeses estão a pensar construir um cabo submarino para transporte de electricidade.

Esse cabo submarino terá cerca de 1.170 Kms e vai permitir uma nova fonte de receita para a ilha Ligando a Islândia ao continente europeu e permitindo vender a electricidade produzida directamente no mercado “spot” ou seja o mercado onde a electricidade é negociada aos preços do momento.

No Fundo é ter uma ligação de 500 MWh que permite que a Europa compre energia Green sempre que quiser até 500 MWh.

Já existem cabos que podem transportar energia até 1000MWh ou 1 GWh mas eles apostam nos 500MW, deve estar relacionado com a quantidade de electricidade que podem produzir para exportar.

Sé falta saber o preço do cabo…

Mas vamos considerar 1.000Euros o metro!

-É Pouco? Porra! Ok 2.000 Euros o metro!

Mais? Ok vamos considerar o cabo de ultima Geração, capaz de transportar até 1000MWh e vamos considerar 5000 Euros por metro, mais que isso entramos no reino da fantasia e 5000€ o metro a conta já deve ser jeitosa.

Se for a 5000€/metro como eles vão ter 1 cabo com 1170Kms isto dá 5.85 mil milhões.

Então 1000Kms de cabo que permite transportar até 1000MWh de energia do ponto A ao ponto B custa 5 mil milhões de Euros.


Já alguém reparou que da Madeira a Lisboa são 930Kms? Vamos considerar que o fundo do mar tem 7kms a 8Kms + desperdício… ok considero 1000Kms

Já alguém reparou que da Madeira a São Miguel são 930Kms? Vamos considerar que o fundo do mar tem 7kms a 8Kms + desperdício… ok considero 1000Kms.

Já alguém reparou que de São Miguel ao Faial (ultima ilha do grupo central) são 300Kms? Vamos considerar que o fundo do mar tem 7kms a 8Kms + desperdício… ok considero 350Kms.

Já alguém reparou que do Faial (ultima ilha do grupo central) à ilha do Corvo ou Flores são 240Kms? Vamos considerar que o fundo do mar tem 7kms a 8Kms + desperdício… ok considero 300Kms.

Então Para ligar todas as nossas ilhas ao continente necessitamos de 2600Kms de cabo.


Mas isso ainda não transforma Portugal no Senhor dos Anéis.

Pois se a electricidade passa do ponto A para o ponto B, se eu unir as extremidades passo a ter 1 anel. Para isso é necessário criar:

1 Anel a envolver madeira e Porto Santo =630Kms

1 Anel a envolver São Miguel e Santa Maria =570Kms

1 Anel a envolver as ilhas do grupo central dos Açores =750Kms

1 Anel a envolver Ilha das Flores e Corvo =300Kms

E claro falta o anel que a todos pode controlar, esse anel sai de Lisboa ou Évora onde foi implementado o InovCity e passa pela madeira ligando ao anel da madeira ligando posteriormente outros 3 anéis dos Açores.

Todos os Anéis das ilhas estariam ligados ao grande anel que a todos podia controlar.

Sempre que os anéis das ilhas atingiam a capacidade máxima que são 1000 MWh descarregavam no anel principal.

Para estes 5 anéis são necessários 2300 Kms de cabo para os 4 anéis das ilhas mais 5200 Kms para o anel principal, 7500Kms de cabo submarino a 5000Euros por metro dá 37.5 mil milhões de Euros, pouco menos de metade do valor de empréstimo solicitado por Portugal.

Mas se o cabo submarino for de “valores aceitáveis” tipo 500€ por metro isto acaba por ser uma ninharia inferior a 4 mil milhões.

Alguém faz ideia do preço destes cabos? Eu não mas farto de política aqui fica a XVII medida de recuperação proposta para o nosso país!
Uma ajudinha para saber o preço dos cabos dava jeito.
Fica um filme dos principais projectos desemvolvidos mundialmente pela empresa Prysmian Cables.

5 comentários:

  1. 48 km --> 2 mil milhões de dolares.

    Mas já deve incluir a montagem.

    http://cleanskies.tv/articles/undersea-cable-transport-energy-hawaii.html

    ResponderEliminar
  2. A ideia parece interessante mas terá que ser analisada numa matriz custo/benefício.

    No estado em que o nosso Estado nos levou todas as lufadas de ar fresco são bem vindas. Há que pensar de um modo pragmático antes de nos lançarmos em grandes projectos com retorno apenas futuro devíamos antes demais concentrar-nos em libertar os agentes económicos das algemas do Estado.

    Antes demais devia ser feita uma análise analítica ao top 20% das nossas exportações ignorando do mesmo AutoEuropa e restante caquilharia que pouco valor acrescentado produz.

    Após análise cuidada dos 20% do top das nossas Exportações, expurgando Autoeuropa e afins havia que verificar o que impede essas indústrias de expandir acarinhando as mesmas para aumentar a componente de valor acrescentado nacional e desse modo aumentar a capacidade de retenção de divisa.

    Outro fator a ter em conta e daí a ideia deste post de garantir a dependência energética seria atacar o top 10 de importações.

    Ora uma delas é o petróleo. Grande parte do petróleo gasto é para nos levar a passear aos fins de semana e de casa para o emprego para aqueles que o têm.

    Para reduzir a capacidade de dependência energética deviam fomentar-se estratégias de tele trabalho com isenções fiscais às empresas (TSU, IRC reduzido e outros afins), aumentar o ISP para consumidores finais, portajar as entradas nas cidades e reduzir o custo dos transportes públicos.

    Outra medida seria criação de incentivos fiscais para os compradores para isolamento de janelas e portas em casa, havendo cooperação com agentes nacionais como a Efacec para aumento da capacidade energética das casas de cada um de nós além de edifícios públicos.

    Com isso estou certo que a poupança energética e consequente eficiência obtida podia ser superior a 15% pelo que o rácio de cobertura exportações/importações seria melhorado pelo menos em 6%.

    Depois disto implementado diria que sim, podia pensar-se em outras melhorias à economia, sendo uma delas esta rede de cablagem.

    Anonymous

    ResponderEliminar
  3. ao administrador do blog:

    Não é de bom tom apagar comentários efectuados. Se quer que eu continue a ter participação activa no seu blog agradeço explicação para o facto de ter apagado os meus comentários.

    Anonymous

    ResponderEliminar
  4. caro anonymos, Eu não apago comentários. Se fores à TAG Educação e olhares para os miminhos que me enviaram, entendes, pois estão lá todos. O BLOGGER teve um BUG e até os posts tiveram sem aparecer 2 dias, depois os posts reapareceram, mas sem os comentários... Acredita que nada tive a ver com isso!

    ResponderEliminar
  5. Para comparacao com custos de projectos existentes, sao 1.13ME por km para um cabo de 500kV, mais 125,000E por cada estacao de conversao. E necessario um em cada ponta, cada vez que e preciso converter de CC para CA.
    Portanto, so nas ligacoes de Lisboa, Madeira, Sao Miguel, Faial, Corvos dao um total de quase 3Mil Milhoes de Euros.
    A Questao e: sera que as ilhas usam tanta electricidade assim?
    Sera que e mais economico instalar turbinas eolicas e parques solares, usando diesel so para quando for precisa?

    ResponderEliminar

;)