sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Lítio na Reindustrialização de Portugal – Senhor dos Anéis – Cap.56


Portugal não é produtivo e não tem industria mas sendo pouco produtivo é o 5º produtor mundial de Lítio e o maior produtor da EUROPA.

Nos últimos 5 anos, muito se falou das nossas reservas de Lítio, neste momento exportamos os calhaus, que são transformados na Alemanha, vendidos acrescentando mais-valias.

Não sendo isso suficiente, aproveitam o Lítio transformado como matéria-prima, produzindo baterias, que depois exportam com valor acrescentado, para todo o mundo.

Portugal não tem 3 mil milhões de €uros para Junto às minas da Felmica na Guarda, construir uma fundição (mil milhões de €uros) e uma fábrica de baterias com capacidade de produção de 2 GWh por ano (2 mil milhões de €uros), mas teve 8.5 mil milhões de €uros para pagar de juros, sobre uma divida que continua a crescer.

Assim não dá, não vamos a lado nenhum, o caminho passa por definir o Lítio como reserva estratégica nacional, construir uma fundição e uma fábrica de baterias.


Um verdadeiro 1º Ministro informa a Alemanha para continuar a produzir Lítio e Baterias vai construir a fundição e a fábrica de baterias em Portugal, caso contrário, virão outros produzir, mas a matéria-prima deixa de ser exportada, para depois aparecer como Produção Alemã.

Tem interesse no Lítio? Vem produzi-lo em Portugal!

Basta trazer o Know-how, oferecemos Terrenos, junto à Mina, poupando no transporte e 3 mil milhões de €uros.

Os terrenos são para oferecer às empresas que se instalarem, os 3 mil milhões, são para PAGAR com os Lucros da actividade exercida, no fundo é pagar com o pelo do próprio cão, mas passa a ser produção nacional.

Não pagam juros, devolvem o dinheiro com os lucros e entram no Senhor dos Anéis, pagando 10% S. Social sobre a mão-de-obra e 10% de IRC sobre os lucros obtidos, melhor que isto só na china!

A Fundição necessita de quantidades enormes de energia, mas a REN chega com a rede de Gás á Guarda, com capacidade de entrega de 7.000m³ / Hora.







O preço será negociado no mercado ibérico liberalizado, podendo o gás ser adquirido em Espanha e entrar por Portugal em Campo Maior (134 GWh por dia) ou ser adquirido em Portugal, mas será sempre a preços de mercado.

O Lítio, além de ser matéria-prima no fabrico de baterias, pode ser usado nas seguintes aplicações:

 - Cerâmicas e vidrarias;
 - Graxas e lubrificantes;
 - Indústria Eléctrica e Electrónica;
 - Indústria Nuclear;
 - Indústria militar;
 - Indústria Medicamentos;
 - Indústria Metalúrgica;
 - Indústria Óptica;
 - Purificação do ar.

A produtividade de um país passa pelos seus representantes saberem defender os interesses do seu país e dos seus cidadãos, mas isso é coisa que por cá, ainda não temos.

20 comentários:

  1. muito bom artigo---
    Estou muito interessado na produção de Litio em Portugal.
    E mesmo muito curioso, sera que já exista algumas conversações sobre a instalação de uma fundição em Portugal e ate mesmo a própria fabrica de baterias?

    Obrigado!

    ResponderEliminar
  2. Nada!Não existem planos para transformar os calhaus em Lítio, muito menos para uma fábrica de baterias...Não conseguimos ver o óbvio e está tudo parado.

    ResponderEliminar
  3. Este relatório indica que existem reservas maiores na Áustria e na Sérvia. Portugal caiu p/ 6º produtor, depois do Zimbabué. http://minerals.usgs.gov/minerals/pubs/commodity/lithium/mcs-2016-lithi.pdf

    Há outras contrapartidas que podem ser oferecidas, a potenciais investidores. Que tal uma nova rede de transportes públicos, baseada em automóveis elétricos partilhados, com rotas otimizadas por cada viagem? 10000 veículos (só p/ Lisboa), renovados a cada 3 anos? Montados em Portugal, com baterias portuguesas
    https://www.youtube.com/watch?v=Gu6rJm3byAM

    ResponderEliminar
  4. Os autores desta monografia tb. estão interessados em valorizar o seu trabalho:
    http://www.lneg.pt/download/4883/iberoeka_livro_valorizacao_pegmatitos_litiniferos.pdf

    ResponderEliminar
  5. Boas Alexandre,

    Portugal pode ter a 5ª ou 6ª maior reserva mundial, mais importante é o valor acrescentado, sobre isso não acrescentamos nada.

    Sobre outras contrapartidas oferecidas a potenciais investidores, não querendo abusar, fica aqui uma pequena recolha das minhas ideias.


    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2015/02/consorcio-carris-toyota-teslaalmadesign.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2012/09/portugal-o-senhor-dos-aneis-nova.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2013/12/portugal-o-senhor-dos-aneis.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2015/02/portugal-aceita-patentes-da-tesla-e.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2012/06/portugal-o-senhor-dos-aneis-venda-dos.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2012/03/desmantelamento-da-maior-central.html
    • http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2014/03/estaleiros-de-viana-navios-modulares_10.html


    Cumprimentos,

    João

    ResponderEliminar
  6. Eu tenho um terreno de 350,000m2 entre Coimbra e Viseu, acha que está na zona que pode ter reservas de lítio?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro André,

      O teu terreno, com 35 ha tem enormes potencialidades, mas não para explorar Lítio.
      Uma Mina ocupa um terreno 50 ou 100 vezes maior.
      Já te ocorreu explorar o terreno na vertente agrícola?

      Eliminar
    2. O seu terreno tem 350,000m2 ou 35 Hectares??

      Eliminar
    3. Boas Speed,

      É verdade 1hectare são 100 x 100 = 10.000m2 35 ha são 350.000m2

      Eliminar
  7. Os N/ "ingenheiros" são todos Relvas?O Costa não sabe disto?Revolta-me tanta incompetência junta num País com tantas e afamadas universidades!

    ResponderEliminar
  8. Boas Rui,

    Neste país Bipolar existem decisões políticas difíceis de entender...

    ResponderEliminar
  9. http://www.rtp.pt/noticias/pais/universidade-do-porto-questiona-impacto-da-barragem-do-alto-tamega-na-extracao-de-litio_n941174

    ResponderEliminar
  10. Quem tem que investir em fundições de lítio e fábricas de baterias não é o Estado nem o Governo, são os empresários e as empresas. Se o investimento for realmente rentável não faltam financiadores. Um dos problemas deste país NÃO é a falta de capacidade de investimento, para a nossa dimensão temos acesso a uma quantidade de capital quase infinita com taxas de juro baixíssimas ou até negativas. É preciso é que haja capacidade empreendedora e isso é característica dos empresários (pelo menos alguns) não é capacidade dos políticos no poder. O papel do Estado é de criar as condições e sair da frente para não atrapalhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Atomes,

      Mudar de rumo, meu a amigo! Fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes, não dá! Portugal NÃO produz Lítio! Quem produz lítio e baterias é a Alemanha! A Alemanha NÃO tem minas de Lítio! Portugal tem...

      Eliminar
  11. Afinal em Aldeia da Ribeira há lítio. Eu bem desconfiava.

    ResponderEliminar
  12. Não esquecer que uma fundição (qualquer que seja) é altamente poluente..... entram aí as associações ambientalistas....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Anónimo,

      Com os padroes ambientais existentes na Alemanha eu não acredito que não tenham encontrado uma solução. Pode passar por filtros nas chaminés como na Cimpor que minimize o problema, pode ser com tratamento dos produtos sobrantes com parcial reaproveitamento. Sei que na Alemanha resolveram o problema e a industria funciona. Porque não funciona cá, eu não sei, mas escrevo sobre isso.

      Eliminar
  13. Mais um exemplo de como acontece a manipulação da UE no comércio, indústria e afins.. Existe a siderurgia da Maia e do seixal.. Duas fundições de peso por isso não é pelos padrões ambientais que é impeditivo de certeza

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Daniel,

      Mudar depende de nós, não depende de mais ninguém. ;)

      Eliminar

;)