domingo, 13 de novembro de 2011

A CARRIS e seus trabalhadores - para onde vai o dinheiro?




A Coisa em vez de melhorar só piora!
Segundo o Jornal SOL no Final de 2010 a CARRIS tinha 2.771 Funcionários.

Uma empresa em que a sua função é transportar pessoas de autocarro do ponto A para o ponto B os motoristas tem de ser a maioria dos seus trabalhadores.

Vou considerar que 70% são motoristas e os restantes 30% profissões várias desde mecânicos a chefes e pessoal de escritório.

Temos então 1940 Motoristas (70%) e 831 pessoas com profissões várias (30%)
Se os motoristas até 9 Anos de casa Ganham mais ou menos 1.100€ por mês isto dá 15.400€/ano.

Mas o Ordenado médio na carris é de 25.924€/ano.


Voltando á historia do frango “ se eu comer 2 e tu não comeres nenhum, em média comemos 1 frango cada um”.

Para este raciocínio ser correcto vou também considerar que os mecânicos/telefonistas/outros ganham o mesmo que os motoristas e que são 5% dos trabalhadores.
138 Mecânicos a ganhar 15.400€/ano.
1940 Motoristas a ganhar 15.400€/ano.
693 pessoas de profissões várias.

O Tribunal de contas informa que o ordenado médio na carris é de 25.924€/ano e eles não se enganam nas contas (se a madeira só envia 90% das facturas e o resto combina com os empreiteiros que fica escondido até ao próximo ano a culpa não é certamente do Tribunal de Contas!).
Como o T.C. não se enganou para chegarmos ao tal ordenado médio de 25.924€/ano temos 693 pessoas de profissões várias a ganhar em média 57.480€/Ano!

DASSSSSSSS quase 60.000€???
Quem são estes Gajos?

Quais as suas profissões?
Já que fazem Greves, não podem levar uns cartazes com esta pergunta?

Se o ordenado anual de 1 motorista é de 15.400€/ano.
Se os Motoristas são certamente a maioria dos funcionários, para onde vai o dinheiro?

Eu não sei quem fica com ele! Só sei que pago!
Sei igualmente que o dinheiro entra na CARRIS!

Mas não sai!
Para os Corpos gerentes da empresa também não vai pois isso está à parte e fora mordomias são 433.550€/ano a dividir por 4 alminhas…

Para onde vai o dinheiro???
Vencimento médio por trabalhador excluindo prémios e subsídios (exclui igualmente vencimentos das administrações que são considerados à parte)...

Carris  -   25.924€/ano
M.LX      - 27.658€/ano
STCP      - 24.373€/ano
M.Porto- 45.985€/ano

Contra factos não há argumentos!


Depois de fazer estas contas de 2+2, fui à procura de quantos motoristas tinha realmente a Carris (Não encontrei) mas encontrei coisas engraçadas, por exemplo...quantos autocarros tem a carris? Encontrei 600, fiquei confuso, ou fiquei mais confuso ainda!

Se a carris tem 600 autocarros 1800 motoristas dava para os autocarros andarem 24H por dia e ainda sobravam 140 trabalhadores para os eléctricos! (Continuando a considerar 70%).

Se isto fosse verdade não era necessário os motoristas andarem a fazer horas extraordinárias muito menos 16 Horas ou mais conforme vem aqui noticiado.

Depois fui ver se encontrava sindicatos, mudei de opinião!

Porquê?

É simples, um dos sindicatos é o SNM (Sindicato Nacional de Motoristas) que representa 200Motoristas!

Isto não pode ser verdade…Não pode.

Quantos sindicatos existem na CARRIS?

Quantos “Trabalhadores” estão afectos a cada um dos sindicatos existentes?

Para onde vai o meu dinheiro?

Se 1 motorista com 9 anos de Carris ganha pouco mais de 1100€ quanto ganha o mesmo motorista com 20 ou 25 Anos de casa?

Quantos motoristas realmente existem?

Trabalhadores da empresa sei que são 2.771…

Quantas categorias profissionais existem na carris e quais os seus ordenados Base?

Quais as categorias profissionais que tem direito a Subsídios e quantos/quais os subsídios que recebem?

Quais as categorias profissionais que tem direito a prémios e quantos/quais os prémios que recebem?

Fiquei pior do que estava quando iniciei esta batalha contra quem chupa o meu dinheiro!

Certezas tenho poucas, mas das poucas que tenho destaco uma.

Com todo o dinheiro que entra na CARRIS para pagamento de funcionários mesmo reduzindo 20% do ordenado todos poderiam viver MUITO BEM!

Ou não se vive com 20.740€/ano?

Vive!

Voltamos ao inicio “Se eu comer 2 frangos e tu não comeres nenhum, em media comemos um frango cada um…”

20 comentários:

  1. Ex-motorista da carris a viver a grande e a francesa na Ilha Formosa eheheheh tambem mereco14 de novembro de 2011 às 02:37

    Yuuuupyyyyy! Ok Agora tou contigo meu parvo! Concordo contigo que apenas 1800 motoristas chegam para os 600 carros, tirando as carreiras que nao sao proveitosas dos bairros sociais que so causam prejuizo na empresa, so num dia de carreira 108 a empresa tem um prejuizo de 70% (eu contei aqueles sem validacao do titulo de transporte)fora o valor real dispendido por kilometro (nao e so o motorista que ganha ordenados certo? E ainda ha gasto de gasoleo a volta de 60 lts\100km), ficando apenas as carreiras mais proveitosas como as que passam no aeroporto, fazem linhas de ligacao a varios pontos da cidade como a 750 e 742, existiriam motoristas que chegassem e sobrassem para eventuais problemas de interrupcao de servico.
    ja agora obrigado por me aumentares de ordenado na carris onde no ultimo ano declarado 2010 tenho auferido 18.032 euros brutos com 11 anos de casa.
    Quanto as 693 pessoas que falas (deves estar a referir aos executivos que andam para um lado e para o outro com cartoes dourados e carros de servico, telemoveis pagos e outras regalias qque desaprovo) e finalmente ao ponto crucial que eu queria chegar no post anterior, existe uma grande desigualdade social nao achas?
    Quanto aos sindicatos ja fui sindicalizado mas desisti por razoes pessoais, nao tenho nada a declarar quanto a isso.
    Quanto as horas extraordinarias, meu caro, vi gente quase a adormecer ao volante, pelo que mais tarde, creio que em 2007 ou 2008, as horas extras permitidas aos motoristas ficaram limitadas a 4 horas e meia por dia nao podendo ultrapassar as 12 horas e meia de servico por dia e deve respeitar sempre 11 horas de descanso por dia.
    Quanto aos subsidios, va ver no post anterior como sao dispostos eu tive o cuidado de o colocar bem explicado, se por acaso voce o apagou entao foi estupido!
    Categorias profissionais idem, e so ha promocoes se tiver uma boa prestacao de servicos e por vezes alguma graxa e escova tambem, coisa que nao me confere...
    Quanto a chuparem-te o dinheiro, deixa la que na carris isso tambem acontece... no inverno de 2003 resolvi fazer horas a bruta visto que em breve seriam limitadas... descontei no total 35% do meu ordenado, resultado... as horas extras ficaram mais baratas que as horas de trabalho normal, solucao... deixei de fazer horas! ou seja dos frangos que falas uma boa parte do seu peso sao ossos certo? Pois este frango ficou-me entalado na garganta pois tinha mais ossos que carne!

    ResponderEliminar
  2. Boas anónimo,

    Compreendo a tua frustração e podes não acreditar mas até estou solidário contigo.
    Sobre o ordenado, repara que até escrevi 2 vezes(ORDENADO MEDIO)de todos os trabalhadores da CARRIS excluindo administradores que são calculados à parte.
    Sobre o teu ordenado eu de colegas teus ja tenho 3 valores para 9;11 e 17 anos de casa.
    Mantenho as principais perguntas visto que ainda não foram respondidas.
    1ºQuantos sindicatos existem na Carris?
    2ºQuantos autocarros existem no total? são 600?
    3ºQuantos motoristas existem do total de 2771 trabalhadores em 2010?
    4ºSobre os GAJOS que andam a passear de carro da empresa e C. Credito no bolso, será tudo publicado desde que me chegue informação...como já afirmei quem lá trabalha tem muito melhor conhecimento da MERDA que lá existe...
    Manda-me 1 email para portugalbipolar@gmail.com que será certamente publicado.
    5ºJá afirmei e mantenho que sou contra TODOS os subsídios devendo em TODAS as profissões existir apenas o ordenado BASE de motoristas a deputados...
    Nos subsídios subscrevo 1 comentário que foi postado por R+NICK "será que se os professores recebessem consoante o número de alunos que têm, já não havia queixas das turmas serem grandes! e já agora um subsídio para ligar a luz ou limpar o apagador? aquele pó deve ser insuportável e deletério para a função pulmonar! e um subsídio por terem de falar muito, com degeneração das cordas vocais a longo prazo.

    Em relação aos condutores dos transportes públicos, e demais trabalhadores do estado que recebem regalias que a restante população portuguesa não aufere, mesmo tendo um trabalho idêntico, é fácil perceber que no ponto de vista deles, eles é que estão correctos, os outros é que ganham pouco.

    Isto deve ser da própria psicologia humana pois ninguém gosta de passar de cavalo para burro, e se eu estivesse no lugar deles, tb ficaria chateado se me viessem tirar os "direitos adquiridos"."

    ResponderEliminar
  3. Helder Manuel Manso dos Reis Ex-motorista da carris a viver a grande e a francesa na Ilha Formosa eheheheh tambem mereco e dono do comentario anterior14 de novembro de 2011 às 04:31

    Realmente, acerca dos sindicatos, nada tenho a dizer pois acho que sao 5 ou podem ser mais, depende daquilo que queiras, autocarros eram a volta de 750 ja os que ficam de reserva para troca a meio de servico e em reparacao ja incluidos, quanto ao pessoal e impossivel ser concreto pois hoje entram 15 amanha saem 30, e impossivel ser concreto mas de facto a tendencia e reduzir o pessoal mandando para a pre-reforma e alguns deles com indeminizacoes brutais, como e o caso dos administrativos que entraram ha 30 anos por intermedio de ligacoes politicas e transferencias de outras instituicoes governamentais, quanto a merda que la existe, podes crer que ainda e muita, existe um gajo chamado Jorge Coelho que e presidente administrativo da Mota-Engil que ja foi admministrativo da Carris, como ves promiscuidade ha muita.
    Na altura dos ingleses gerirem aquilo parecia bem melhor, pois construiram-se estacoes e a empresa alargou imenso, mas tambem toda a gente pagava bilhete e nao havia borlas para ninguem se bem que familiares da empresa ja tinham direito a ter livre transito assim como qualquer trabalhador no privado tambem tem benesses, eu sei disso pois tambem ja trabalhei para o privado.
    Quanto a abolirem com os subsidios ou com a maioria deles, sei que isso ja foi proposto pelos sindicatos mas foi recusado tanto pela administracao como por alguns motoristas, e como vivemos em democracia....por mim e igual.... se encontrasse coisa melhor bazava logo ainda antes de emigrar.
    Quanto a comparares o trabalho de professoeres com um motorista, deves tar e louco! o subsidio de agente unico veio a dar uma responsabilidade bem maior ao motorista que podes ter a certeza que nao tem nada a ver com apagadores ou apagar luzes, trata-se sim, de cobrar, transportar e devolver dinheiro que e da empresa, tens a nocao dessa responsabilidade? sao tarefas distintas: conduzir e resolver dinheiro d empresa para alem de que todas as outras empresas privadas subsidiam os seus motoristas com esse subsidio. As ajudas de custo e coadjuvante, os outros relacionados com assiduidade por mim podiam juntalos ao ordenado se por acaso os retirassem mesmo se eu tivesse a viver ai ainda iria a procura de outro trabalho ou emigrava a mesma para outro pais, pois tambem tou farto de ser chulado, e trabalhar de graca nao!

    ResponderEliminar
  4. Meu amigo BiPolar, só queria emendar uma pequena coisa, visto muitas das conversas em vários fóruns foram comentados.
    Referente ao custo médio de pessoal, não representa o ordenado médio, mas sim tudo o que advém de ter um empregado, como por exemplo:
    -ORDENADO (com o que dai advém, ord. base e subsídios)
    -SEGURANÇA SOCIAL PAGA PELA EMPRESA
    -FARDAMENTO
    -FORMAÇÕES
    -ETC...

    Este é o problema de se ler o relatório do T.C., fala em renumerações globais e não especificas, como tenho pena. Isto é encomendado pelo governo, que não tem tempo para ler, como já ficou provado pela ignorância dos nossos governantes, que falam para as entrevistas sem se informarem devidamente.

    Continua com o blog, que apesar de estares a criar uma má imagem da minha classe(mot. trans. públicos) e de muitas outras, expões bem os podres da nossa sociedade politica.

    ResponderEliminar
  5. Boas Ricardo,

    1º-Dizer que no custo médio com pessoal está incluído ordenado S.S. Paga pela empresa Fardamento e Formações é fácil.
    O difícil é comprovar com fontes de onde vem essa informação.
    Se o fizeres serei o primeiro a reconhecer o erro.
    Até lá mantenho o que disse.
    2º-No post que deu origem a toda esta troca de argumentos não fala uma única vez dos motoristas...
    Foi a vossa classe que se mostrou mais ofendida pela simples razão que é a vossa classe que afecta grande parte dos subsídios de que falei nesse post, mas eu falei de subsídios e nem uma única vez de motoristas.
    Como já afirmei sou contra TODOS os subsídios em TODAS as profissões, é válido para motoristas para deputados para TODOS…
    3º-Continuar com o Blog é para mim uma maneira de descontrair e enquanto servir os meus objectivos e o melhor interesse do meu país será uma certeza doa a quem doer.

    ResponderEliminar
  6. Caro Portugal Bipolar,

    Já que tanto gosta de fazer contas gostaria de lhe demonstrar uma questão em relação a este seu comentário:

    "Depois de fazer estas contas de 2+2, fui à procura de quantos motoristas tinha realmente a Carris (Não encontrei) mas encontrei coisas engraçadas, por exemplo...quantos autocarros tem a carris? Encontrei 600, fiquei confuso, ou fiquei mais confuso ainda!

    Se a carris tem 600 autocarros 1800 motoristas dava para os autocarros andarem 24H por dia e ainda sobravam 140 trabalhadores para os eléctricos! (Continuando a considerar 70%)."

    Todos os trabalhadores têm direito a folgas, sendo que na Carris essas folgas são rotativas e divididas por grupos, uma vez que nem todos podem folgar nos mesmos dias ou a empresa parava. Para sua informação, estes são 7 em que dois deles têm sempre pessoal de folga no mesmo dia. Se dividirmos equitativamente o numero de motoristas pelo numero de grupos de folga temos 1800/7 o que será aproximadamente 250 por grupo. Como disse anteriormente existem 2 grupos com motoristas de folga no mesmo dia, sendo então que todos os dias temos 500 motoristas de folga.

    Agora temos também a considerar que cada motorista tem um período de trabalho de 8 horas. Para um autocarro laborar 24 horas por dia, como o Sr. afirma, precisamos de 3 motoristas para cada autocarro. Se os autocarros são 600 iríamos precisar de 1800 motoristas para o fazer. E agora pergunto eu, e os motoristas que estão nos seus merecidos dias de folga? Já para não falar numa coisa que lhe deve fazer também muita confusão, é que também relativamente às férias se passa algo semelhante com as folgas, é que nem todos gozam as suas férias no mesmo período ou altura do ano, logo também se devem excluir estes.

    Chegamos então a duas conclusões. A Carris ou tem um numero deficitário de motoristas ou o Sr. não sabe fazer contas.

    Espero que me tenha conseguido acompanhar...

    Ass: Ramp

    ResponderEliminar
  7. Boas Ramp,

    Não consegui acompanhar mas...depois de ler 10 vezes penso que já entendi...
    Sabes que eu disse que eram contas de 2+2...
    Não resisto a umas perguntinhas, O Numero de Autocarros nocturnos tem alguma coisa a ver com o numero de autocarros em hora de ponta?
    Em vez de conversa da treta, se responderes a quantos dos 2771 Funcionários da carris são efectivamente motoristas não estarias a perder o teu tempo...
    Ou se "SÓ" existem 5 sindicatos...
    Ou se o SNM representa mesmo 200 Trabalhadores ou quantos sindicatos existem só para os motoristas...
    Ou quantas categorias profissionais existem realmente na carris...

    ResponderEliminar
  8. Para tua informação, já que não sabes tudo

    1863 Motoristas Serviço Publico, Guarda-Freios e Tecnicos de tráfego e condução

    745 autocarros
    57 electricos
    3X2 ascensores
    1X2 elevadores

    ResponderEliminar
  9. "As empresas do Sector Empresarial do Estado (SEE) são tão viáveis como qualquer outras desde que o Estado as trate da mesma maneira que trata as empresas do sector privado. É que a divida das empresas públicas foi criada pelo facto dos
    investimentos nelas realizadas, ter sido retirado do Orçamento de Estado e elas terem sido obrigadas (pelos governos do PS, PSD e CDS) a financiarem-se no sistema bancário para proceder quer a investimentos (nas frotas e infraestruturas), quer para as rescisões (algumas delas milionárias) levadas a cabo pelos C.A.’s, ao contrário do que sucedeu com as empresas privadas, (como a Metro Sul do Tejo) em que o governo assumiu todo o investimento realizado.
    Não são os trabalhadores da Carris, CarrisBus e CarrisTur os responsáveis pela situação
    financeira das empresas, mas sim os seus administradores e os governos que os têm
    suportado, na manutenção dos seus privilégios: automóveis com manutenção e combustível
    pago para utilização individual, inclusão nos seus vencimentos dos prémios que recebiam sem
    entrarem em descontos para a Segurança Social, manutenção do mesmo nº de administradores (apesar do OE 2010 obrigar à sua redução)." - Retirado do comunicado da STRUP e que na minha opinião deixa uma explicação bem clara sobre a verdadeira realidade deste país no que diz respeito a este sector.
    Não sabias que já éramos avaliados e continuas sem saber outras coisas. Por acaso sabias que quem define o local exacto das paragens é a Câmara Municipal de Lisboa (CML)? Por acaso sabias que é a CML que exige a passagem e a frequência horária das carreiras? Por acaso sabias que as carreiras que dão prejuízo não são reduzidas ou extintas porque, por determinação da tutela e da CML, é necessário prestar o chamado "serviço social"?
    Por acaso sabias que os subsídios existentes nestas empresas foram um "rebuçado" envenenado dado em troca de aumentos que o privado recebeu em determinada altura? Por acaso sabes que poucos meses antes do governo Sócrates ter anunciado o fim dos prémios e da promoção de carreiras (final de 2010) o Presidente da Carris agregou ao seu vencimento todos os subsídios a que tinha direito no vencimento? (À anos que os trabalhadores exigem o mesmo) - http://www.tvi24.iol.pt/politica/ultimas-tvi24-salarios-aumentos-marques-mendes/1199222-4072.html
    Muita coisa está mal, mas não é por culpa de quem trabalha, mas sim de quem manda.
    Se eu te fizer um contrato de trabalho em que fica estipulado que caso consigas escrever 100 páginas por dia num total de 2200/mês te premeio por um extra de X € e o consegues fazer durante 5, 10, ou 15 anos, certamente aceitavas e formavas a tua vida em função desse vencimento. De repente eu descobria que a minha mulher gastava muito nas compras e no cabeleireiro e decidia cortar essa regalia, como ficarias tu e a tua família sem esse extra, assim, de um dia para o outro? Achas justo?
    Em relação ao passe até admitia ceder o passe dos familiares. Agora em relação ao passe do funcionário, quantas empresas privadas pagam o subsidio de transporte?
    Já agora, na tua empresa de construção, quantos emigrantes ilegais e quantos trabalhadores declaram apenas o ordenado mínimo? Eu e os meus colegas de trabalho declaramos todos os cêntimos que ganhamos. E o resto do país? fazem todos o mesmo? É a quem foge que devemos perseguir.

    ResponderEliminar
  10. Oh merdas, agora sem passe social bem podes andar a pé! AHH nem és de Lisboa!! MORRE a tua reforma faz falta!

    ResponderEliminar
  11. oh merdas, ve la se aprovas ou noa tens colhões? velho de merda? morre reformado do krl, a tua reforma faz falta!

    ResponderEliminar
  12. "Motorista de serviços públicos. — É o trabalhador que,
    legalmente habilitado, conduz veículos pesados de passageiros dentro das boas regras de condução e segurança do
    material e passageiros, respeitando os percursos estabelecidos e, sempre que possível, os horários. Pode ainda, na
    falta de motorista de ligeiros e pesados, conduzir veículos
    pesados ou ligeiros. Pode ainda vender bilhetes de tarifa
    única em viaturas equipadas com obliteradores, não sendo
    responsável, no entanto, por quaisquer passageiros que
    forem encontrados sem bilhete."

    "Subsídio de horários irregulares
    1 — Consideram -se em regime de horários irregulares,
    para efeitos desta cláusula, os trabalhadores que, mantendo
    embora os limites máximos do período normal de trabalho,
    estejam sujeitos a variações diárias ou semanais na hora
    de início e termo do período de trabalho, para garantia da
    satisfação de necessidades directamente impostas pela
    natureza do serviço público prestado pela empresa.
    2 — Os trabalhadores que estejam sujeitos a horários
    irregulares têm direito a um subsídio mensal de 2,6 % sobre
    a remuneração base do escalão G.( ou seja 20.15 euros)
    3 — Este subsídio não é cumulável com o subsídio
    de turno, de isenção de horário de trabalho ou de ajuramentação e, sobre ele, não será calculado qualquer outro
    subsídio ou abono.
    4 — O direito a este subsídio cessa quando o trabalhador
    deixe de estar sujeito a este regime de trabalho."

    Meu caro, coloquei estas duas definições que caracterizam o Motorista de Serviço Público. Na primeira acho que responde a todas questões relacionadas com a "problemática" dos subsídios e a sua atribuição.
    A segunda refere um subsídio que desde 1999 o condeno (altura que fiz parte da Comissão de Trabalhadores) como sendo atribuído á generalidade dos motoristas. Porque segundo a sua interpretação não poderia abranger os motoristas que estão no chamados "grupos" mas sim aos "supras".
    Contudo não chamo regalias, mas sim direitos a tudo o que está acordado entre as partes para efectuar funções diferentes daquelas que constam na definição das suas competências. Para deixar de usufruir desses direitos (os subsídios), então que se promova o emprego criando novas categorias profissionais associadas ao sector.
    Não admito que qualquer ignorante (leia-se - políticos, reformados com subvenções vitalícias e organismos que generalizam as questões) condicionem a apreciação pública face a determinadas profissões criando assim o descrédito e o desmérito que elas não merecem. Os seus propósitos são outros, e com base no que leio na tua revolta, posso-te dizer que o estão a conseguir. Direcciona a tua indignação noutro sentido.
    Para já fiquemos por aqui, e percebo que pela a pessoas indignada que és, mereces um diálogo que poderá fazer nascer uma luz.

    Abraços

    ResponderEliminar
  13. Estas a ver apos este tempo todo o que fizeram a Carris? Fizeram-te a vontade, reduziram empregados que faziam falta mandando-os para o desmprego cujo fundo e pago por ti e por quem trabalha em vez de ser investido de maneira a contribuir para o desenvolvimento.

    Reduziram carreiras e oferta de autocarros nas mesmas.

    Reduziram os ordenados, fomentando a desmotivacao e demissao de mais motoristas contribuindo para um pior servico tanto a nivel de qualidade como de quantidade, pois ha muitos motoristas que preferem a ir trabalhar para um privado com o mesmo nivel salarial e por ficarem mais perto de casa, aumentaram as tarifas, e agora vem dizer-me outra vez se as greves se tivessem a forca nao so dos motoristas mas tambem dos seus utentes teriam feito outros resultados?

    ResponderEliminar
  14. Penso que das contas do Tribunal de Contas tiraste conclusões precipitadas. Podes ver no relatório e contas.
    http://www.carris.pt/fotos/editor2/relatorio_e_contas_2010.pdf

    De qualquer forma acho positivo questionar. Força!

    ResponderEliminar
  15. Sou motorista da Carris e o meu rendimento anual com tudo incluindo, incluindo ainda os subsídio de férias e de natal, com horas extras (+- 20 horas por mês), e feriados no ano de 2016 foi de 16000,00€, subtraindo o IRS, cerca de 2000€ e tsu mais ou menos 1600€, sindicato e fundo social da Carris +- 240€, portanto, 16000-2000-1600+240=+- 12160€÷12=1013€ essa foi a média do meu vencimento por mês, o subsídio de alimentação aqui incluído é pago com cartão refeição (TR), não está incluída a sobre-taxa social de 1%, portanto, acho que deverá fazer novas contas, tenho 12 anos de empresa, parece que alguém está a receber muito dinheiro, mas não são os motoristas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas,

      Infelizmente para todos as contas estão certas.
      O resto são escolhas, feitas por todos.

      Se no inicio do milénio (2003/04) eu ganhava 1.500€ e descontava 14.5% de IRS, foram as escolhas dos Portugueses que levaram a que em 2016/17 para o mesmo ordenado de 1.500€ o desconto em IRS seja superior a 30%.

      São as nossas escolhas que permitem que empresas como a CARRIS possa ter 1 dúzia de sindicatos, muitos deles representando pouco mais de 100 trabalhadores.

      São as nossas escolhas que permitem que 2.500 profissionais (motoristas carris e maquinistas metro/cp) possam paralisar 2.5 milhões de Lisboetas.

      São as nossas escolhas que permitem que dos 4.9 milhões de trabalhadores existentes 750 mil façam greves a torto e a direito e os restantes 4.2 milhões engolem e aguentam, porque se fizerem greve são despedidos.

      São escolhas nossas que permitem num ano calmo (2016) existirem mais de 300 pré avisos de greve, enquanto em 2015 foram mais de 1800 pré avisos...

      Consegue 1 país, qualquer país ser produtivo com 1800 greves anuais?

      Não pode!

      Devemos manter uma constituição que permite a Portugal ir à falência 3 vezes em 30 anos?

      Vale a pena continuar a votar nos partidos políticos com 1800 greves anuais? ou será preferível deixar de votar e promover os dirigentes dos sindicatos a governantes?

      Que igualdade é esta (artº 13 da constituição) onde sendo todos iguais, uns trabalham 35 horas por semana e outros 40?

      Que igualdade é esta (artº 13 da constituição) onde sendo todos iguais, uns são despedidos e outros não?

      Que igualdade é esta (artº 13 da constituição) onde sendo todos iguais, uns são avaliados e não fazem greves e os outros recusam ser avaliados e greves são a torto e a direito?

      Por ultimo, costumo dizer que o cumulo da estupidez é fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

      Já te deste conta que desde o 25 de Abril, sempre tivemos 1 partido a defender os trabalhadores e todos os anos existem mais de 100 dias de greve, tendo Portugal dos trabalhadores mais mal pagos da Europa?

      Greves como estão formatadas não resultam! Basta olhar para os últimos 40 anos! Só prejudicam os trabalhadores!

      Será a solução mais greves, ou passará por pensar e fazer diferente?

      Vamos acabar com os sindicatos...

      Quantos existem na CARRIS?

      São todos para manter? tem razão de existir?

      Saudações patrióticas,

      Jony

      Eliminar
  16. Bipolar, as tuas contas saiem sempre erradas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se já ouviste falar no bem comum, se te deres ao trabalho deixo aqui um link que reforça a Bipolaridade Portuguesa e os F. Públicos e privados...

      https://oportugalbipolar.blogspot.pt/2016/05/o-bem-comum-e-as-35-horas-de-trabalho.html

      Cumprimentos,

      Jony

      Eliminar
  17. Aqui a alguns anos a traz houve um funcionário de classe superior com canudo que recebeu uma boa indemenisação não sei se foi o único passado não chegou a um ano voltou para a empresa pergunta devolveu a indemenisação claro que não é por estas e muitas outras que dão ordenados bons ao pessoal menor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este blogue tem como regra base aceitar todos os comentários.
      Recomendo que não fales em generalidades que sejas mais concreto, tipo nome do funcionário, onde trabalhava, quando ocorreu esse episódio, etc.
      Até prova em contrário o comentário fica, mas é apenas considerado boato, não ajuda a discussão e não serve propósito algum.
      Diz que disse, não é a maneira de ser e estar em Portugal Bipolar.

      Cumprimentos,

      João

      Eliminar

;)