domingo, 6 de novembro de 2011

Os Cortes nos transportes – Metro de Lisboa




Foi criado 1 grupo de trabalho para estudar a melhor solução de reduzir o défice crónico que estas empresas apresentam.
Claro que este grupo de trabalho não o faz de borla mas o mais surpreendente são as suas conclusões.

Estas cabecinhas pensadoras depois de muito estudar chegaram à conclusão que uma das melhores soluções seria reduzir a oferta.
Encerrando algumas linhas até as 21.30 Horas e todas as estações até às 23.00 Horas…

Meus caros amigos, foi para isto que se pagou o estudo?
O Portugal Bipolar oferece um estudo de BORLA!

Primeiro – O metro funciona a electricidade e nas horas a que vamos fechar as estações andamos a vender electricidade a Espanha a valores entre 0€ e 3€/MW…

Segundo - Sem grande trabalho, basta consultar relatórios do tribunal de contas para detectar onde o dinheiro dos contribuintes anda a ser esbanjado!

Subsídio Agente Único (atribuído na CARRIS, Metropolitano e STCP)

Trata-se de um benefício pecuniário que não depende do efectivo desempenho de funções e que é atribuído, ao pessoal tripulante, 14 meses no ano.

Subsídio de Ajuramentação (atribuído na CARRIS e no Metropolitano)

Tal como o anterior, trata-se de outro subsídio atribuído à categoria de Controladores de Tráfego e Coordenadores Gerais de Tráfego, na CARRIS, e de Fiscais, no Metropolitano de Lisboa, durante 14 meses no ano e que não depende de qualquer prestação de serviço especial. Pese embora, com o novo Acordo de Empresa, datado de Março de 2009, do Metropolitano de Lisboa, este subsídio tenha deixado de existir autonomamente, por ter passado a estar incorporado no salário.

Subsídio Quilometragem (atribuído no Metropolitano)

Trata-se de um subsídios pago aos Maquinistas por cada quilómetro percorrido durante o normal exercício da sua função e não apenas quando é excedido o número de quilómetros previsto no normal plano de trabalhos dos Maquinistas.

Subsídio Prevenção (atribuído no Metropolitano)

Trata-se de uma remuneração pecuniária compensatória pelo facto de o trabalhador ter o dever de se encontrar sempre localizável e à disposição da empresa nos dias de descanso semanal e feriados, mediante a organização de escalas de prevenção, em regime de rotação.  
 Vencimento Carreira Aberta (atribuído no Metropolitano)

Subsídio atribuído quando o trabalhador atinge o último grau da sua carreira, permitindo-lhe continuar a beneficiar de progressão, pese embora já tenha alcançado o topo da carreira. Em consideração das novas regras insertas no novo Acordo de Empresa, foram introduzidas algumas alterações ao seu regime no sentido de tornar mais lenta a progressão profissional dos trabalhadores beneficiários do mesmo.
Para além dos subsídios mencionados, a CARRIS e o Metropolitano de Lisboa também concediam prémios aos seus trabalhadores, conforme se demonstra no quadro seguinte, com os quais despenderam, em 2007, cada uma delas, cerca de 1,3 milhões de euros.

Prémio de Desempenho (atribuído no Metropolitano)

Atribuído a titulares de funções de chefia (do AE I) em função da classificação obtida na Avaliação e Gestão de Desempenho.

Prémio de Performance (atribuído no Metropolitano)

Prémio atribuído aos trabalhadores licenciados e bacharéis (do AEII) em função dos escalões resultantes da avaliação de desempenho anual.

Prémio de Assiduidade e Prémio de Assiduidade Trimestral (atribuído no Metropolitano)

Prémio mensal atribuído aos trabalhadores (do AE I) que forem assíduos durante esse período, acrescendo, cumulativamente, 25% do valor do prémio mensal, quando a assiduidade se mantém no trimestre.
Não sei quanto esbanjam os Gestores com ordenados, Carros, telecomunicações e demais regalias, mas para uma empresa que todos os anos dá milhões de prejuízo, pago por todos os contribuintes não é aceitável que gaste 906.000€/ano com um centro cultural e que os seus trabalhadores tenham em subsídios e prémios mais 50% de ordenado!

Se a empresa fosse privada tinha fechado à muito!

Como é publica é paga pelo contribuinte!

E pelo que se nota é mais fácil obrigar o contribuinte a pagar aumentos brutais dos transportes, reduções injustificadas do horário de funcionamento do que acabar com regalias absurdas de todos os seus trabalhadores.
É o país que temos…

http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2010/audit-dgtc-rel007-2010-2s.pdf

11 comentários:

Ramiro disse...

Boas!
O rol de subsídios no sector dos transportes é realmente extensivo, e torna a exploração cara demais para o cidadão contribuinte.
Na minha opinião, no transporte rodoviário, apenas deveriam ficar com 1 ou 2 destes subsídios.
Poderia ser o subsídio de agente único, porque foi há muitos anos atribuído aos motoristas para que estes passassem também a fazer o papel de vendedores e cobradores de bilhetes.
Ou poderia ser o prémio de ausência de acidentes (não sei bem se é este o nome oficial), também se justifica com o facto de ao lutar pelo prémio o motorista ser muito mais cuidadoso, portanto, menos acidentes significa menos despesa com o material circulante.
A enorme dívida destas empresas é uma realidade, no entanto, convém não esquecer que, grande parte do défice de exploração, advém do facto que, nos últimos anos o estado desorçamentou a despesa, obrigando as mesmas a recorrer à banca para pagar novas linhas (Metro) e material circulante, não fosse isso, e eu acredito que estas empresas poderiam até ser lucrativas, ou apresentar prejuízos residuais.

Anónimo disse...

Falaste mal das conclusões da comissão( e muito bem), mas ao atacares os trabalhadores da Empresa continuas a errar o alvo (porque aqui estás a ser baixo não de altura mas de carácter), já que estivesses verdadeiramente informado saberias que o deficit das empresas de transporte não se devem ás remunerações dos seus trabalhadores mas sim ao facto de estas empresas terem sido obrigadas a contrair empréstimos megalómanos para abrir novas estações(com derrapagens pornográficas)e agora o Estado alem de não dar garantias de pagamento ainda não devolve o que deve dos passes e outras receitas das empresas. Fico triste com a inveja que uns salários pagos a quem trabalha sirvam para desviar a atenção do verdadeiro problema e o que fazes aqui é vergonhoso.

Portugal Bipolar disse...

Caro Anónimo...

Como certamente reparas-te os comentários aqui entram directos!
Não ficam para aprovação e mais importante não são apagados...
Julgo que não te ficava mal teres deixado 1 nome próprio...policarpo; Justiniano ou outro qualquer.
Eu tanto no metro como na carris conto com mais de 12 subsídios para empresas que pagam só em mão de obra muito mais do que recebem de receitas!
Receitas anuais M.L. – 68.077M€
Despesas anuais com pessoal M.L.-80.540M€
DUVIDAS???
Segue o LINK... Pag 28
http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2010/audit-dgtc-rel016-2010-2s.pdf

Driver disse...

Continua a mandar farpas sem estudar tudo!!! Não percebe nada!!! Existe alguma empresa de transportes no mundo que viva somente de receitas dos passes e titulos de transportes? Diga? O metro obrigado a por a Toupeira" a trabalhar e so recebeu da CE por que do estado Portugues nada recebeu, a Carris a uma decada nao recebe quase nenhuma compensação do estado relativamente aos passes sociais e as suas obrigações como accionista! Sabia que estas empresas pagam mais em juros e emprestimos contraidos nos ultimos anos do que em remunerações com o pessoal? Sabe que muitas chefias e directores destas empresas trabalham classes politicas que não tiveram colocação noutros ministerios? Em londres os transportes publicos são sustentaveis com as receitas dos titulos de transportes e das multas de estacionamento........ ESTUDE, PENSE, MEDITE E DEPOIS EXPONHA, Não coloque os trabalhadores o seu meio social como despesa, porque são a maquina principal para a sustentabilidade destas empresas e contribuem para a mobilidade desta cidade de Lisboa

Portugal Bipolar disse...

Boas Driver,

Obrigado pelo comentário.
Como sabe quem por cá passa a minha frase favorita é a seguinte:
-"Eu detesto ter razão!"
Sempre que isso acontece alguém acaba entalado.
Voltando ao link fornecido pag. 28
http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2010/audit-dgtc-rel016-2010-2s.pdf
Não conheço empresas privadas que recebam 100.000€ mensalmente e paguem só em mão de obra 118.000€!
Só mesmo no Metropolitano…
Voltando aos benefícios...
1 -Subsídio Agente Único
2 - Subsídio de Ajuramentação
3 - Subsídio Quilometragem
4 - Subsídio Prevenção
5 - Prémio de Desempenho
6 - Prémio de Performance
7 - Prémio de Assiduidade e Prémio de Assiduidade Trimestral
Eu até acho que os trabalhadores do metro deviam reivindicar mais 3 subsidios ou prémios para igualarem os trabalhadores da CARRIS…
Devem igualmente reivindicar mais 2 Milhões de Euros por ano, pois na Carris recebem anualmente 4.8 Milhões e os do metro “SÓ” recebem 2.8 Milhões…
Ironias à parte, as greves desta vez não vão dar em nada, não porque não tenham força suficiente, sempre foi essa a vossa arma, parar as cidades…
Mas porque não vem mais dinheiro e a economia da Tugolândia não suporta mais impostos, como está provado!
Tenho vários amigos de infância no metro e só lhes desejo bem…
Mas, existe sempre um mas…
Todos os que trabalham no metropolitano tem a perfeita consciência que alem de subsídios a mais existem regalias injustificadas e que vão acabar, pois a alternativa é a falência, porque mais dinheiro não vem de fora e cá dentro não existe.
Das administrações ao mais simples trabalhador muito vai mudar.
Eu, por mim acho bem!
Não por inveja, eu estava-me a CAGAR se todos os trabalhadores do metro recebessem 5.000€/mês, desde que não me peçam dinheiro para regalias injustificadas.
Eu não me chateio quando as empresas dão lucro e distribuem esse lucro pelos trabalhadores; Administrações e Accionistas…mas têm de dar lucro!

Peter disse...

Meu caro já está a começar a entender, mas eu conheço muito bem ambos os trabalhadores e para que saiba este pormenor, os carissimos do metro ate recebem mais do que da carris, pelo menos a area operacional, mas retirando isso como lhe disse anteriormente temos o caso de Londres, em que a empresa é sustentavel com as receitas dos passes e das tarifas e com as multas de estacionamento. As empresas de transportes publicos são empresas que prestam o serviço publico/social! Quantas pessoas conhecemos que não hipotese de se deslocar pelo seu proprio meio sem ser de transportes? MUitas! Eu sou a favor e creio que pelo seu comentario tambem, de que as empresas t~em de ser sustentaveis, tal como os institutos......no balanço final a conta tem de 0 ou +0, não saldo negativo! o ISQ por exemplo dá lucro e bastante e ainda por cima deu cabo de muitos laboratprios de qualidade. Os privados receberam ao longo de anos mais subsidios do que os publicos, e acredite que isto é verdade!!!! Na minha opinião tenho ideias para isto ir para frente....uiao das empresas sim, em Bruxelas existe esse meio, mas sinceramente eu acho que é monopolio existir so uma empresa, a criação de receita creio que tb é facil sem aumentar e sobrecarregar mais os utentes, sabe como?
1-despedimento de muitos directores ao qual so trabalham uma media de 5 a 6 horas por dia e nada contribuem
2- redução nas regalaias dos quadros superiores de ambas as empresas
3-30% das receitas da emel reverter para os transportes neste futuro caso EMEL.
4-5% da receita do IUC de veiculos registados na area metropolitana de LX
5-5% da receita do imposto sobre produtos petroliferos nas areas de serviço de LX.
6-Redimensionamento ligeiro da rede de transportes.
7-Ajustes nos passes
Seria uma boa solução para a sustenbilidade do transporte publico em LX, sem mais encargos para o Cliente e mais seria um forte incentivo á utilização do transporte publico.
Aqui fica a minha sincera opinião e espero que todos não coloquem os trabalhadores da area opecional e de exploração num saco de coitadinhos, ou de chulos, pois recebem aquilo a que têm direito! Um bem Haja

Portugal Bipolar disse...

Boas Peter,

Os trabalhadores do metropolitano de LX recebem bem mais que os da CARRIS, mas como são muito menos no total são menos 2 milhões por ano (essa parte foi provocação para ver o que dava...eu sou mauzinho ;))
Mas o ordenado médio por trabalhador dos Gajos do Porto é bastante superior e o metro deles anda à superfície, podes confirmar isso na TAG transportes em post's anteriores.
Vamos às tuas sugestões...
1 - Despedimento de directores está contemplado na união das empresas a efectuar (Metro + CARRIS)
2 - Redução nas regalias dos quadros superiores de ambas as empresas está contemplado na união das empresas a efectuar (Metro + CARRIS)
3 e 4 - Concordo, nada a acrescentar
5;6 e 7 - Não concordo, existem muitos cortes a efectuar tanto no nº de trabalhadores como nas suas regalias, o ajuste nos passes já foi feito e já está nos limites, o redimensionamento ligeiro da rede, carece de explicações adicionais e a receita sobre ISP nas bombas de LX não tem razão de ser, levaria apenas a que 50% dos abastecimentos fossem feitos fora de LX levando muitos postos à falência...
Não te faltou falar do IMI? já agora...
Como comentei no post da CARRIS...Como sabe quem cá vem eu detesto ter razão!
Sério!
DETESTO!
O problema é que de tudo o que tenho escrito, pouco tenho falhado…e foi escrito ANTES…SEMPRE ANTES…
Sobre os transportes em geral e a CARRIS em particular tenho a informar o seguinte.
Vão existir despedimentos.
Vai haver diminuição de ordenado.
Vai diminuir o serviço prestado.
E mesmo assim, ou todos aceitam ou a empresa vai falir para depois ser vendida aos privados!
Vai uma aposta???
Eu, só quero deixar de pagar com os meus impostos, pois pelas minhas últimas contas por cada 100€ facturados, levo para casa 35€!
Isso é que não é justo, mas eu não faço greves, é uma das vantagens de ser “Pedreiro” são brutos, estúpidos e não fazem greve!
São assim!
Sobre os transportes, volto a repetir que espero estar enganado, pois eu detesto ter razão!
Terei?!?
Depois disto já me deram mais um mimo, a ver vamos como diz o cego...
De tudo o que escrevi, o que mais goso me deu foi quando com vários meses de antecedência iniciei a contagem decrescente sobre qual seria o dia em que Portugal pediria ajuda externa...muitos se riram...até quase ao fim, no fim, falhei por 3 dias!
Lembra-te deste Post no final do ano!
Falamos em Janeiro de 2012!
Um Abraço e boa Sorte!
Julgo que vais necessitar de muita...

Anónimo disse...

Quando a média de habilitações literárias dos trabalhadores dos transportes se situa no 9º ano de escolaridade, quando os vencimentos médios rondam os 1700 euros, dá que pensar, digo isto, porque, perante a realidade Portuguesa, é um insulto,olhemos para esses jovens licenciados que não têm emprego ou quando o têm auferem vencimentos miseráveis.

Anónimo disse...

Caro "Bipolar",
por motivos profissionais, não me tem sido possível acompanhar esta discussão. Mas eis-me de volta...

Quis, depois do meu ultimo comentário, deixar-te aqui as tais sugestões e denuncias, mas por aquilo que já expliquei, deixei passar o timing.
Deixo-te aqui a sugestão de investigares a CARRISTUR, empresa criada por a CARRIS, com NIF próprio, subsidiada por o estado, que paga aos seus trabalhadores ordenados pouco a cima do ordenado mínimo e que metade ou mais de metade do serviço é efectuado por os motoristas da CARRIS. Esta empresa apresenta lucros de milhões de euros e dá-se ao luxo de despedir os SEUS empregados ( com contrato por a CARRISTUR) e continuar a requisitar motoristas à CARRIS para ocupar o lugar deles. É no mínimo imoral, para não lhe chamar outra coisa.
Os seus quadros superiores são compostos por funcionários da CARRIS que ao aceitarem ser cedidos à CARRISTUR, mantiveram todas as regalias que tinham na CARRIS acrescido de um aumento de vencimento. Em compensação a empresa contrata, na sua maioria, miúdos que estão a receber em média 650 euros mensais, já com descontos e não têm qualquer regalia da CARRIS, nem sequer o passe social, apenas o passe CARRIS.
Quando fazem a sua escala semanal de serviço, nem sequer lhes perguntam se podem trabalhar na folga, simplesmente marcam-lhes o serviço e quem não quiser, já sabe o que lhe reserva o futuro.

Sugiro que investigues esta empresa e qual a sua ligação à CARRIS e aos dinheiros públicos, pois esta dá lucro e não é pouco...

Portugal Bipolar disse...

Boas Mário,
Obrigado pelo comentário, existe outro post sobre a carris, julgo que lá ficaria melhor o teu comentário.
é mais recente e não ficou "poluído".
Mas, fica ao teu critério.

http://oportugalbipolar.blogspot.com/2011/11/carris-e-seus-trabalhadores-para-onde.html

Anónimo disse...

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=2152401